Política

Sergio Moro vai receber título de cidadão honorário de Curitiba nesta quinta (30)

Para vereadora Professora Josete (PT), "é absurda" a homenagem a "uma pessoa que cometeu crimes contra a democracia"

Brasil de Fato | Curitiba (PR) |
Homenagem foi aprovada em 2016, com apenas um único voto contrário, da vereadora Professora Josete - Marcos Corrêa / Fotos Públicas

Nesta quinta-feira (30), a Câmara Municipal de Curitiba entregará o título de cidadão honorário para Sergio Moro, ex-ministro do governo Bolsonaro, ex-juiz declarado parcial pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no âmbito da Operação Lava Jato e que busca atualmente viabilizar uma pré-candidatura a algum cargo eletivo pelo União Brasil.

Continua após publicidade

A homenagem foi aprovada em 2016, por sugestão do ex-vereador Chico do Uberaba, com apenas um único voto contrário, da vereadora Professora Josete (PT). Cinco anos depois, o vereador Sabino Picolo – do mesmo partido de Moro – tomou a iniciativa de fazer essa entrega. Diferente de outras cidadanias honorárias, o local escolhido não foi o plenário em sessão solene, mas sim a sala da presidência.

Entenda: Análise | Sergio Moro: o ex-juiz que rasgou a Constituição. Por Jorge Folena

Para Professora Josete, os fatos envolvendo Sergio Moro nos últimos anos comprovam como seu voto contrário à homenagem foi coerente e que o ex-juiz não é digno de receber a principal honraria do município.

“É absurda essa entrega de cidadania para uma pessoa que cometeu crimes contra a democracia, que agiu com parcialidade nos processos da Lava Jato contra o ex-presidente Lula e que depois foi ministro deste governo genocida”, comenta.

Leia também: Lava Jato levou o país ao desastre, diz diretora do documentário "Amigo Secreto"; assista

A parcialidade citada por Josete foi comprovada pelo Comitê de Direitos Humanos da ONU, que também apontou que os direitos políticos de Lula foram violados em 2018.

Atualmente, Moro é réu em ação popular aceita pela Justiça Federal do Distrito Federal por ilegalidades praticadas no processo da Lava Jato, além de prejuízos causados à economia brasileira. A ação foi impetrada por deputados federais do PT.

“Moro é réu e precisa explicar os prejuízos que causou ao povo brasileiro, causou sérios danos à economia brasileira. Ele não pode ficar impune”, destaca Josete.

O ex-juiz e ex-ministro também é investigado por possível fraude na tentativa de mudar seu domicílio eleitoral do Paraná para São Paulo e, recentemente, a Justiça de Curitiba determinou que ele retirasse do ar um vídeo de campanha. A juíza Ana Lúcia Ferreira entendeu que houve uso indevido da imagem de um músico de Curitiba e determinou que a peça fosse retirada das redes sociais de Moro.

Fonte: BdF Paraná

Edição: Lia Bianchini