CORRIDA ELEITORAL

Saiba como funcionam as eleições para o Senado e conheça os candidatos de Minas Gerais

Apenas 45% dos eleitores mineiros já definiram seu candidato ao cargo

Brasil de Fato | Belo Horizonte (MG) |

Ouça o áudio:

Diferente da Câmara Federal, a eleição dos senadores é por sistema majoritário - Jonas Pereira/Agência Senado

“Neste ano elegemos senadores? Votamos em um ou dois candidatos?”. Com a proximidade das eleições, questões como essas se tornam cada vez mais cotidianas nas conversas entre amigos, familiares e colegas de trabalho. 

Continua após publicidade

As dúvidas sobre a função e a composição do Senado Federal ajudam a explicar um curioso cenário: a menos de 50 dias das eleições, apenas 45% dos eleitores mineiros já definiram seu candidato ao cargo. O dado é da última pesquisa eleitoral, realizada pelo DataFolha e divulgada dia 18.

Continua após publicidade

Leia também: Contrarreforma trabalhista cria empregos na Espanha e pode ser exemplo para Brasil

Continua após publicidade

Funções

Continua após publicidade

O Senado compõe o Congresso Nacional, junto à Câmara dos Deputados. Além das funções de legislar e fiscalizar, atribuídas às duas casas legislativas, os senadores possuem competências próprias. 

Senadores aprovam a escolha de ministros do TCU, embaixadores, presidentes e diretores do Banco Central

Entre elas, estão a atribuição de processar e julgar o presidente e o vice-presidente da República, ministros de Estado, ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e comandantes do exército quanto a crimes de responsabilidade.

:: Leia mais notícias do Brasil de Fato MG. Clique aqui ::

Aos senadores também cabe aprovar a escolha de ministros do Tribunal de Contas da União (TCU), embaixadores, presidentes e diretores do Banco Central e titulares de outros cargos. 

Como é feita a eleição

Diferente da Câmara Federal, a eleição dos senadores é por sistema majoritário. Ou seja, é eleito aquele que tiver a maior quantidade de votos. No Senado, o mandato é de oito anos. 

Outra diferença entre as duas casas legislativas é que o senador é eleito para representar seu estado. Já os deputados federais são eleitos para representar o povo. Desta forma, cada estado brasileiro elege três senadores, independente de seu tamanho populacional. 

Mesmo os mandatos sendo de oito anos, a eleição para o Senado acontece a cada quatro anos, junto às eleições presidenciais. Diferente da Câmara Federal, a recomposição da Casa se dá alternando entre a renovação de ⅓ e ⅔ de seus membros. 

Por isso, em 2018 votamos em dois candidatos diferentes e em outubro deste ano iremos votar apenas em um. 

Outra diferença entre as eleições para as duas Casas é que, para o Senado, cada candidato possui dois suplentes fixos. Ou seja, ao votar num candidato você também está automaticamente votando nos dois suplentes. 

Já na Câmara, os suplentes são candidatos que concorreram às eleições, não foram eleitos e, quando vagas ocupadas por seus correligionários ficam ociosas, são convocados, a depender da votação obtida no pleito eleitoral. 

Senadores de Minas 

Quatro anos atrás, o eleitorado mineiro elegeu Carlos Viana (PL) e Rodrigo Pacheco (PSD) ao senado. Antonio Anastasia (PSD) já ocupava uma vaga na Casa. 

Em janeiro deste ano, Anastasia foi indicado para ocupar a vaga de ministro do TCU fazendo com que seu primeiro suplente, Alexandre Silveira (PSD) assumisse o cargo. Alexandre busca se reeleger esse ano. 

Candidatos e suplentes ao Senado por Minas

Nas eleições de outubro deste ano, a população mineira precisará escolher um entre os nove candidatos ao senado. Conheça o perfil dos concorrentes e seus suplentes:

1)    Alexandre Silveira (PSD)

Ocupação: Empresário
Escolaridade: Superior completo
Estado civil: Casado
Coligação/federação: Federação Brasil da Esperança - Fe Brasil (PT/PC do B/PV) / PSD / PSB
Bens declarados: R$8.595.061,07

Apoiado por Lula (PT), os dois suplentes de Alexandre Silveira são filiados ao Partido dos Trabalhadores: Virgílio Guimarães, economista e deputado estadual, e Cida Lima, vereadora do município de Ipatinga. 

2)    Bruno Miranda (PDT)

Idade: 42
Ocupação: vereador de BH e cirurgião-dentista
Escolaridade: Superior completo
Estado civil: Casado
Coligação/federação: Federação PSDB/Cidadania/PDT
Bens declarados: R$ 450.000,00

Os suplentes de Bruno Miranda são Ivayr Soalheiro (PDT), administrador e ex-Secretário Municipal de Meio Ambiente de Contagem, e Henrique Braga (PSDB), pastor e vereador de Belo Horizonte. 


3)    Cleitinho (PSC)

Idade: 40 anos
Ocupação: deputado estadual
Estado civil: casado
Escolaridade: Ensino Médio completo
Coligação/federação: -
Bens declarados: R$ 544.570,76

Bolsonarista, Cleitinho tem em sua suplência dois membros de seu próprio partido, Adhemar (PSC) e Alex Diniz (PSC).

4)    Dirlene Marques (PSTU)

Idade: 75 anos
Ocupação: servidora pública aposentada
Escolaridade: Superior completo
Estado civil: casada
Coligação/federação: -
Bens declarados: R$ 280.098,82

Dirlene foi candidata ao governo do Estado em 2018, pelo PSOL. Professora aposentada da  Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), os suplentes de Dirlene são o advogado Adriano Cavalheiro (PSTU) e a servidora pública Victória Mello (PSTU).

:: Receba notícias de Minas Gerais no seu Whatsapp. Clique aqui ::

5)    Irani Gomes (PRTB)
Idade: 48 anos
Ocupação: sindicalista
Escolaridade: Ensino Médio completo
Estado civil: casado
Coligação/federação: -
Bens declarados: R$ 280.098,82
Suplentes: Petrônio (PRTB) e Oseas Soares (PRTB)

Presidente do Sindicato das Empresas Transportadoras de Combustíveis de Minas Gerais (Sinditanque-MG), os suplentes de Irani são o corretor de imóveis Oseias Soares (PRTB) e também do mesmo partido Petronio (PRTB).

6)    Marcelo Aro (PP)

Idade: 35 anos 
Ocupação: deputado federal
Escolaridade: Superior completo
Estado civil: casado
Coligação/federação: Novo / MDB / Solidariedade/ Patriota/ Avante/ PMN / DC / PP / Pode / Agir
Bens declarados: R$ 4.834.449,10
Suplentes: Teteco (MDB) e Camila Soares (Avante)

Deputado federal e vice-presidente da Federação Mineira de Futebol (FMF), Aro tem em sua suplência o vereador de Contagem, Teteco (MDB), e a advogada Camila Soares (Avante). 


7)    Naomi Coura (PCO)

Idade: 40 anos
Ocupação: outros
Escolaridade: Superior completo

Estado civil: solteiro
Coligação/federação: -
Bens declarados: não divulgou

Os suplentes do professor de ensino médio Naomi são Antônio Barnabé (PCO) e Dalila de Almeida (PCO).


8)    Pastor Altamiro Alves (PTB)
Idade: 69 anos
Ocupação: outros
Escolaridade: Ensino Médio completo
Estado civil: casado
Bens declarados: R$ 1.080.000,00

Fundador da Igreja Internacional Despertar da Fé e diretor da Rede Universo TV, Altamiro Alves tem em sua suplência Júlio Hubner (PTB) e o empresário Leonardo Soltz (PTB).

9)    Sara Azevedo (Psol)
Idade: 37 anos 
Ocupação: professora
Escolaridade: Ensino Médio completo
Estado civil: casada
Coligação/federação: Federação Psol/Rede
Bens declarados: R$ 45.609,00

Concorrendo pela terceira vez a um cargo público, Sara tem em sua suplência o psicólogo Artur Duarte (Psol) e Manoel Cipriano (Psol), que foi candidato a vice-prefeito de Uberlândia em 2016.


 

Fonte: BdF Minas Gerais

Edição: Elis Almeida