15 dias das eleições

Bolsonaro em Londres: discurso eleitoral e hostilização a jornalistas marcam velório da rainha

Em Londres, presidente diz a apoiadores que vai ganhar no 1º turno; PT vê abuso de poder político e econômico

Brasil de Fato | São Paulo (SP) |
Comitiva presidencial em Londres contou com pastor Silas Malafaia - Chip Somodevilla / POOL / AFP

Jair Bolsonaro (PL) foi neste domingo (18) ao velório da rainha britânica Elizabeth 2ª e discursou a apoiadores em tom de campanha eleitoral. A estadia em Londres também foi marcada por protestos de ativistas ambientais e casos de hostilização a jornalistas protagonizados por bolsonaristas. 

Da sacada da residência oficial do embaixador do Brasil no Reino Unido, Bolsonaro afirmou que "não tem como a gente não ganhar no primeiro turno", ignorando o cenário apontado por pesquisas eleitorais, que indicam vantagem do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). 

Leia mais: "Hino ao Inominável”: Wagner Moura e mais artistas lançam música com denúncia a Jair Bolsonaro

O presidente iniciou o discurso dizendo que o momento era de pesar, mas logo abordou pautas de costumes que marcam sua campanha, como a defesa da criminalização do aborto e do consumo de drogas. 

Continua após publicidade

Na comitiva presidencial em Londres, estão figuras importantes na campanha. Entre eles o pastor Silas Malafaia, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL-SP), além de Fabio Wajngarten, ex-secretário de comunicação do governo Bolsonaro e responsável pela comunicação da campanha.

Protesto de ambientalistas e hostilização a jornalistas 

Após o discurso de Bolsonaro, manifestantes ergueram cartazes em inglês que diziam "Parem Bolsonaro pelo futuro do planeta" e "Bolsonaro é uma ameaça ao planeta e à humanidade". A crítica é contra a política ambiental bolsonarista, que elevou índices de desmatamento na Amazônia e enfrenta forte resistência na Europa. 

Apoiadores de Bolsonaro vestidos de verde amarelo e carregando bandeiras do Brasil xingaram aos gritos os jornalistas que faziam a cobertura. A polícia londrina precisou intervir e escoltou profissionais de imprensa.

Um vídeo publicado pelo correspondente na América Latina do The Guardian, o Tom Phillips, registrou os xingamentos. “Que cenas vergonhosas em um momento de luto nacional”, comentou, em inglês, o repórter britânico.

Campanha de Lula vai ao TSE 

Um dos coordenadores da campanha de Lula e senador Humberto Costa (PT) criticou o teor eleitoral da visita e anunciou nas redes sociais que vai pedir uma investigação ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A ação deve ser por abuso de poder político e econômico, segundo afirmou Costa ao site Poder 360

O petista classificou o episódio como "espetáculo dantesco". "Sem contar que essa viagem desnecessária e eleitoreira levou o Estado brasileiro a arcar com mais duas igualmente inúteis: a do vice-presidente da República e a do presidente da Câmara, que foram obrigados a deixar o país por força da lei", publicou. 

Bolsonaro segue para Assembleia Geral da ONU

Bolsonaro pousou na capital inglesa na manhã deste domingo (18), com a primeira dama, Michelle Bolsonaro. É o último dia de velório aberto da rainha Elizabeth 2ª, morta há 10 dias de causas não reveladas. 

Conforme manda o protocolo, o candidato à reeleição assinou o livro de condolências no velório da monarca, em Westminster, antes de ser recepcionado pelo rei Charles 3º, filho e sucessor de Elizabeth 2ª.

:: Rainha Elizabeth 2ª serviu para "dissimular" colonialismo britânico, diz pesquisador ::

Bolsonaro deve deixar a capital inglesa na segunda-feira (19) para participar da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), onde o presidente brasileiro faz, tradicionalmente, o discurso de abertura. 

Edição: Lucas Weber