Carnaval 2023

Na voz das crianças, Radinho BdF acompanha volta da Camisa Verde e Branco ao grupo especial

Muitos dos carnavalescos comprometidos em fazer a festa acontecer são crianças, de todos os cantos do país

Ouça o áudio:

Conheça a história de crianças carnavalescas, que organizam alas, blocos e apresentações de carnaval - Rovena Rosa/ Agência Brasil
Estamos levando para a avenida um protesto que não é só pelo carnaval, é pelo Brasil

Que o carnaval é a maior festa popular do mundo, isso muita gente sabe. Mas ela só acontece com tanto luxo e alegria porque centenas de pessoas se dedicam um ano inteiro para alegria ocupar as ruas do país. E muitos desses carnavalescos são crianças, de diferentes partes do país, comprometidos em fazer a folia acontecer e com muita energia para brincar o carnaval e estender a festa pelo ano inteiro.

Continua após publicidade

Uma delas é o Christian Fernando Francisco do Santos, que mora em São Paulo e completou 14 anos no dia em deu uma entrevista ao Radinho BdF. Nesse dia ele celebrou também 10 anos de participação na Escola de Samba Mocidade Camisa Verde e Branco.

E por isso ele recebeu um convite muito especial da agremiação: deixou a ala das crianças para brilhar na como destaque na Comissão de Frente, primeira ala a entrar na avenida, responsável por apresentar o enredo e dar as boas vindas da escola.


Comissão de frente da Escola de Samba Mocidade Camisa Verde e Branco / Reprodução Liga Carnaval SP

“A Comissão de Frente representa o Brasil e suas dificuldades. Eu sou o Brasil e os outros integrantes são juízes que querem roubar a Constituição, os direitos dos brasileiros, pelos quais estamos em luta até agora”, disse. “Esse protesto na avenida não e só pelo carnaval, é pelo Brasil, pela vida e para mostrar que temos que defender nossos direitos.”

A edição de hoje (22) do Radinho BdF acompanhou essa história desde a sua preparação até a entrada na avenida. E foi além: registrou o momento histórico em que a responsabilidade, o envolvimento e o talento de uma criança ajudaram a escola a ser vice-campeã e a voltar para o grupo especial do Carnaval de São Paulo, onde estão as maiores agremiações da capital paulista.

 

“É muita felicidade. Eu só quero orgulhar as crianças e mostrar que um menino que chegou aqui sem saber nada sobre carnaval pode chegar ao topo de uma escola de samba.”

Crianças e seus carnavais

O Carnaval é a festa mais democrática do Brasil, com diversas formas de brincar: são blocos de rua, cordões, escolas de samba, nações de maracatus, bailes em clubes, papaguns, desfiles de bonecões gigantes, trios elétricos e um ritmo especial que é a cara do Brasil.

“O frevo é uma dança nordestina que mostra o quanto é rica nossa cultura com esse ritmo frenético que faz o sangue ferver e não dá pra ficar parado”, conta Íris Beatriz, que tem 13 anos e mora em Recife.

Para marcar importância desse ritmo no carnaval, o Radinho BdF conversa com crianças passistas da Escola de Frevo do Recife, que contam como é brincar um dos carnavais mais marcantes e antigos do país.


Passistas da Escola de Frevo do Recife / Carlos Oliveira/Prefeitura do Recife

Foi muito triste que nos últimos três anos não teve carnaval. Eu dançava só em casa, mas agora vou poder dançar de novo! Estou muito feliz. Quando eu danço eu me sinto leve e quero dançar cada vez mais”, conta Davi José, que tem 12 anos e também mora no Recife.

Nessa viagem pela folia, o Radinho desembarca também na Bahia, que tem um dos maiores carnavais do país, para conhecer o reinado da folia de 2023. Estamos falando do Rei Afro Mirim, da Rainha Mirim do Carnaval e do Rei Mominho, que tem o importante papel de representar as crianças no carnaval.

“Eu passei por um concurso com outras crianças. Sempre observei minha mãe dançando e sempre achei bonito. Queria mostrar que sou cada vez mais filha dessa família de realeza”, conta Ayomi Zuhri, 6 anos.

O Rei Momo é um personagem inspirado na mitologia grega que se tornou um dos símbolos do carnaval porque representa a alegria dessa festa. É uma figura simpática, brincalhona e muito bem humorada. E foi por ter toda essa simpatia que o Rei Marcos Vinicius Santana, de 7 anos foi escolhido para ocupar esse cargo tão importante no carnaval de Salvador. E ele dá uma entrevista exclusiva para o Radinho BdF.


Rei e Rainha Afro são David de Lucas, de 8 anos, e Ayomi Zuhri, de 6 anos, e Rei Mominho Marcos Vinicius Santana, de 7 anos / Kleber Lobo/ Secretaria de Cultura da Bahia

Na folia!

Além de conhecer histórias e personagens muito importantes para o carnaval, os ouvintes mirins podem estender a folia com a Vitrolinha BdF, que anima nosso cordão carnavalesco com “País Tropical”, do Jorge Ben Jor, “Swing de Campo Grande”, dos Novos Baianos, “Invisíveis”, samba enredo da Mocidade Camisa Verde e Branco e o frevo “Vassourinhas”, de Mathias Rocha.

Inclusive, quem quiser conhecer mais sobre a história desse ritmo tão carnavalesco, pode conferir a Hora da História: no episódio de hoje, a cordelista Suzane Morais conta, em versos de cordal, como o frevo foi criado e como se tornou esta dança e música que faz adultos e crianças ferverem pelas ruas do Recife.


Toda quarta-feira, uma nova edição do programa estará disponível nas plataformas digitais. / Brasil de Fato / Campanha Radinho BdF

Sintonize

O programa Radinho BdF vai ao ar às quartas-feiras, das 10h às 10h30, na Rádio Brasil Atual. A sintonia é 98,9 FM na Grande São Paulo. A edição também é transmitida na Rádio Brasil de Fato, às 9h, que pode ser ouvida no site do BdF.

Em diferentes dias e horários, o programa também é transmitido na Rádio Camponesa, em Itapeva (SP), e na Rádio Terra HD 95,3 FM.

Assim como os demais conteúdos, o Brasil de Fato disponibiliza o Radinho BdF de forma gratuita para rádios comunitárias, rádios-poste e outras emissoras que manifestarem interesse em veicular o conteúdo. Para fazer parte da lista de distribuição, entre em contato pelo e-mail: [email protected].

Edição: Sarah Fernandes