dia de luta

Mulheres vão as ruas em todo o país no 8 de março; veja fotos

Mobilização aconteceu em capitais estaduais e cidades do interior em todas as regiões do país

Brasil de Fato | Rio de Janeiro (RJ) |

Ouça o áudio:

Mobilizações reuniram mulheres em cidades de todas as regiões do país - Luciana Oliveira

Representantes de movimentos populares em todo o país foram às ruas neste 8 de março, Dia Internacional de Luta das Mulheres. O Brasil de Fato acompanhou de perto a mobilização durante todo o dia. Confira alguns dos destaques.

Continua após publicidade

Porto Alegre


Ato do 8 de março na capital gaúcha aconteceu na Lomba do Sabão / Carolina Lima

Dezenas de mulheres dos movimentos populares do Rio Grande do Sul se reuniram em ato na Lomba do Sabão, entre as cidades de Porto Alegre e Viamão. Mais de 100 famílias locais tiveram de ser realocadas por estarem em área de risco devido à possibilidade de rompimento de uma barragem.

As participantes da manifestação ainda realizaram um ato ecumênico em denúncia ao feminicídio de Debora Moraes, militante do Movimento dos Atingidos oor Barragens (MAB). O assassinato aconteceu em setembro do ano passado.

Teresina

Centenas de mulheres do Campo Unitário, que reúne organizações do campo, participaram do ato em Teresina, junto à sede da empresa Equatorial Energia. A denúncia é de que o custo da eletricidade é alto, e o serviço oferecido é precário.

O grupo foi recebido com truculência pela segurança da empresa. Houve empurrões e tiros para dispersar a mobilização. O grupo seguiu em marcha pelo centro da capital piauiense com gritos de ordem contra o agronegócio, as violências e por direitos, alimentos e em defesa da vida.

Porto Velho


Mobilização em Porto Velho começou ainda na terça-feira (7) e seguiu durante o Dia Internacional de Luta das Mulheres / Comunicação MAB

Mulheres da Via Campesina foram às ruas de Porto Velho (RO) e seguiram em marcha até a sede do governo estadual. O acampamento começou ainda na véspera (dia 7, terça-feira), e tem como lema "Camponesas da Amazônia – Em luta pela vida e soberania, contra a fome e a violência".

Centenas de militantes lutam contra o sistema patriarcal e as violências, pela preservação da Amazônia e por soberania alimentar. 

Crato (CE)


Mobilização do 8M no Crato, no cariri cearense / Lívio Pereira

No cariri cearense, cerca de mil pessoas se reuniram e caminharam da prefeitura à Praça da Sé, no Crato. O local escolhido para o encerramento da manifestação foi o banco de uma praça onde a professora Silvany de Souza foi assassinada pelo marido em 2020.

Goiânia


Ato do 8M na capital goiana / Comunicação MTD

O foco das manifestações do Dia Internacional de Luta das Mulheres em Goiânia (GO) foi a moradia. As participantes do ato se reuniram junto à Agência Goiana de Habitação (Agehab), em luta por despejo zero e garantia de moradia na cidade e no campo.

Altamira (PA)


Marcha do 8 de março em Altamira saiu em defesa do direito ao acesso a água potável / Comunicação MAB

Mulheres atingidas pela hidrelétrica de Belo Monte foram às ruas da cidade paraense de Altamira para a marcha "Mulheres em defesa da água potável como direito básico para a vida". O ato denunciou o descumprimento de uma das principais condições para construção da barragem, o abastecimento de água. 

O protesto também chamou atenção para o direito à moradia e acesso a energia, e protestou contra a violência contra as mulheres e ataques contra a Amazônia e os povos originários.

São Luís


Militantes marcharam rumo ao palácio do governo maranhense / Selma Farias/MST-MA

Em São Luís, mulheres do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) organizaram uma marcha rumo ao Palácio dos Leões, sede do governo maranhense. O objetivo era apresentar pautas do povo do campo ao executivo local.

O grupo foi recebido pelo vice-governador Felipe Camarão, pela secretária de direitos humanos, Lília Raquel e pelo secretário de agricultura familiar, Bira do Pindaré. A eles, apresentaram pautas como defesa dos territórios, educação, saúde, moradia, cultura, pavimentação e alimentação saudável.

Natal


Grupo participou de atividade na Escola de Governo do Rio Grande do Norte / Morgana Souza

Mulheres que participam do Acampamento Pedagógico das Mulheres Sem Terra na capital potiguar seguiram em marcha para acompanhar a solenidade que marcou o 8 de março na Escola de Governo do Estado.

Com o tema "Igualdade de gênero para uma manhã sustentável", o evento aconteceu na Escola do Governo do Estado, e contou com lideranças femininas dos movimentos populares, representantes da sociedade civil e entidades parceiras, além da governadora Fátima Bezerra.

Vitória


Participantes do ato na capital capixaba homenagearam Flávia Amboss, vítima de atentado / Karini Bergi

Mulheres integrantes dos movimentos populares foram às ruas na região central de Vitória. O grupo prestou homenagem à professora Flávia Amboss, vítima do atentado a uma escola em Aracruz (ES) em novembro do ano passado.

Curitiba


Marcha na capital paranaense, realizada na terça-feira (7) / Juliana Barbosa

Na capital paranaense, a Jornada de Lutas "Mulheres em resistência, contra todas as formas de violência. Por Terra, Teto e Trabalho, democracia e sem anistia" levou às ruas uma marcha que reuniu mais de 1.500 pessoas na terça-feira (7). Os grupos saíram de acampamentos rurais de todas as regiões do estado do Paraná. 

O grupo faz parte da articulação Despejo Zero, que une movimentos populares do campo e da cidade. O ato contou com um público formado basicamente por mulheres, muitas delas acompanhadas dos filhos.

Edição: Rodrigo Durão Coelho