Perseguição política

Papa Francisco diz que Lula foi condenado sem provas e que Dilma Rousseff 'tem mãos limpas'

"Nenhum meio de comunicação pode escapar impune de calúnias, difamações, falsas condenações", pontuou o pontífice

Brasil de Fato | São Paulo (SP) |
Papa Francisco, em entrevista à TV argentina - Reprodução

O Papa Francisco, em entrevista concedida ao canal de TV argentino C5N, falou a respeito do lawfare (perseguição política por meio de mecanismos judiciais) e citou como exemplo a condenação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no âmbito da Lava Jato. Segundo o pontífice, Lula foi condenado sem provas

Continua após publicidade

"O lawfare abre caminho pelos meios de comunicação. Deve-se impedir que determinada pessoa chegue a um cargo, então, o pessoal o desqualifica e mostram a suspeita de um crime. Então, faz-se todo um sumário, um sumário enorme, onde não se encontra [provas], mas, para condenar, basta o tamanho desse sumário. 'Onde está o crime aqui?' 'Mas, sim, parece que sim...' Assim condenaram Lula", disse o papa.

Continua após publicidade

:: Francisco, o primeiro papa efetivamente global, completa 10 anos à frente do Vaticano ::

Continua após publicidade

O jornalista Gustavo Sylvestre disse na sequência que a ex-presidenta Dilma Rousseff havia sido cassada em 2016 por um "ato administrativo menor" e o pontífice emendou afirmando que ela é "uma mulher de mãos limpas, uma mulher excelente".

O líder da Igreja Católica também invocou a responsabilidade dos meios de comunicação na promoção do lawfare. "Nenhum meio de comunicação pode escapar impune de calúnias, difamações, falsas condenações", pontuou.

A entrevista foi gravada antes da internação do Papa Francisco no hospital Gemelli, em Roma, na última quarta-feira (29). Ele teve alta neste sábado (1º) e brincou ao dizer que "ainda está vivo" ao se deparar com jornalistas na saída.

Leia também: 'O importante não é que eu volte, é que o Equador volte ao seu povo', diz Rafael Correa em SP

Confira a íntegra da entrevista do Papa Francisco 

Edição: Glauco Faria