CENTRAL DO BRASIL

'O governo tem que ir pro ataque', diz Altamiro Borges sobre CPMI dos atos golpistas

Jornalista acredita que o Palácio do Planalto precisa fortalecer estratégias no Legislativo e na comunicação

Brasil de Fato | Recife (PE) |
Apoiadores de Jair Bolsonaro no ataque à sede dos três poderes em Brasília no dia 08/01 - Marcelo Camargo/Agência Brasil

O jornalista Altamiro Borges acredita que o governo Lula errou ao não apostar na criação da Comissão Parlamentar de Inquérito sobre os atos golpistas. Segundo ele, o governo temia que os bolsonaristas fizessem da Comissão "um picadeiro" para expor suas ideias e manter o conservadorismo que gravita em torno do ex-presidente. 

Continua após publicidade

Altamiro fez uma análise sobre a revelação das novas imagens e a reação do governo tema durante o programa Central do Brasil desta segunda-feira(24). Para ele, o governo errou na estratégia de evitar a criação da investigação no Congresso. 

"O governo trabalhou com o cenário de paz, querendo evitar esse palanque para a extrema-direita. Eu acho que foi um erro, porque a extrema-direita não ia ficar paralisada. Ela tentou mudar o discurso. Ela tentou culpar as vítimas pelo golpe. Esse discurso pegou no esgoto digital, convenceu muita gente e pareceu que o governo estava fugindo de alguma coisa", concluiu. 

::Edição de vídeo da CNN ajuda bolsonarismo em narrativa paralela sobre 8 de janeiro::

Agora, após a revelação das novas imagens do circuito de segurança do Palácio do Planalto, Altamiro avalia que o governo deve partir para o ataque e se munir de uma boa estratégia no Legislativo e também na comunicação. 

"Eu acho que o governo deve partir para o ataque. Tem que montar um belo time para enfrentar essa CPMI, com gente capacitada e que não vai ficar de cretinismo parlamentar, que vai pro ataque. Acho que o governo tem que montar uma estratégia de comunicação, para poder  fazer uma contranarrativa às milícias bolsonaristas. O governo tem material para mostrar", afirmou o jornalista. 

A entrevista completa você acompanha na edição desta segunda-feira do programa Central do Brasil

Assista agora ao programa completo



E tem mais! 

Estreia de Dilma 


A presidenta do Novo Banco de Desenvolvimento, Dilma Rousseff, realizou sua primeira atividade pública na China, depois da cerimônia de posse realizada recentemente. Dilma foi uma das oradoras na abertura do fórum  "a modernização chinesa e o mundo", realizado na última sexta-feira em Xangai. Quem acompanhou o evento foi o nosso repórter Mauro Ramos.

Nova crítica

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a criticar o Banco Central e a taxa de juros no Brasil. Em um evento com empresários na cidade do Porto, em Portugal, Lula  defendeu a redução da Selic como forma de estimular o crédito no país e, com isso, retomar os índices de crescimento econômico dos seus dois governos anteriores

O programa Central do Brasil é uma produção do Brasil de Fato. Ele é exibido de segunda a sexta-feira, ao vivo, sempre às 12h30, pela Rede TVT e por emissoras públicas parceiras espalhadas pelo país.

Edição: Thalita Pires