educação

Como seria a escola dos sonhos? Em resposta a violência, crianças defendem acolhida e escuta

Crianças reivindicam escola acolhedora, com mediação de conflitos, respeito às diferentes e combate ao bullying

Ouça o áudio:

Ambiente acolhedor é caminho para uma escola mais segur - Marcelo Camargo/Agência Brasil
Na minha escola todos são amigos; eu me sinto em casa lá

Mais tempo de recreio, parquinho de diversões, fim das provas e quem sabe até uma piscina para os dias de calor. Os desejos das crianças para transformar as escolas parecem simples, mas vão muito além das brincadeiras: elas reivindicam uma escola acolhedora, que faça mediação de conflitos, respeite as diferentes formas de aprender e combata o bullying.

Continua após publicidade

Os planos e sonhos são uma resposta a onda de violência em instituições de ensino, que assusta estudantes, professores e familiares. Por isso a edição de hoje (3) do Radinho BdF discute com meninos e meninas como podemos construir a escola que sonhamos e que comportamento devemos ter frente a riscos de atos violentos nas instituições de ensino.

“A minha escola é muito legal, eu conheço todo mundo, todo mundo é amigo, todo mundo se ajuda. Eu me sinto em casa lá”, diz Luca Gimenez, que tem 10 anos e mora em Santo André.


Estudantes em manifestação / Fernando Frazão/Agência Brasil

Lugar de potência

Em um país diverso como o Brasil as escolas também são diferentes umas das outras. Por isso, o episódio faz uma viagem pelas escolas do país, para entender como cada uma funciona e que desafios enfrentam.

Depois de percorrer escolas indígenas e ribeirinhas, o Radinho BdF chega ao sertão da Paraíba para conhecer a “Escola dos Sonhos”, uma instituição de ensino pública, na zona rural de Bananeiras (PB), que desenvolve um projeto inovador de educação.

Sem provas, as crianças são avaliadas por valores humanos, além das atividades diárias. Eles decidem o que vão estudar, ajudam uns aos outros quanto têm dúvidas sobre as matérias, propõe e executam projetos e são responsáveis pela organização e pelo cuidado com a escola.

Diversão

A escola dos sonhos é também um lugar recheado de diversão. Então, a Vitrolinha BdF põe som na caixa com “A Nossa Escola”, do Palavra Cantada, “Oito Anos”, da Adriana Calcanhoto e “Gente”, do Caetano Veloso.

Na Hora da História, o grupo Contadores do Sótão solta a voz com “O menino que aprendeu a ver”, um clássico de Ruth Rocha que celebra a escola como um local de desenvolvimento e aprendizado.


Toda quarta-feira, uma nova edição do programa estará disponível nas plataformas digitais. / Brasil de Fato / Campanha Radinho BdF

Sintonize

O programa Radinho BdF vai ao ar às quartas-feiras, das 10h às 10h30, na Rádio Brasil Atual. A sintonia é 98,9 FM na Grande São Paulo. A edição também é transmitida na Rádio Brasil de Fato, às 9h, que pode ser ouvida no site do BdF.

Em diferentes dias e horários, o programa também é transmitido na Rádio Camponesa, em Itapeva (SP), e na Rádio Terra HD 95,3 FM.

Assim como os demais conteúdos, o Brasil de Fato disponibiliza o Radinho BdF de forma gratuita para rádios comunitárias, rádios-poste e outras emissoras que manifestarem interesse em veicular o conteúdo. Para fazer parte da lista de distribuição, entre em contato pelo e-mail: [email protected].

 

Edição: Sarah Fernandes