ANÁLISE POLÍTICA

'É uma CPI que não tem crimes para investigar', diz Márcio Macêdo sobre CPI do MST

O ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República avaliou que quem propôs a CPI deveria conhecer o MST

Brasil de Fato | São Paulo (SP) |
"É uma CPI que não tem crimes para investigar", disse Márcio Macêdo sobre CPI do MST. - Reprodução Twitter / Márcio Macêdo

Terminou neste domingo (14), em São Paulo, a quarta edição da Feira Nacional da Reforma Agrária. O evento, que é organizado pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), reuniu durante quatro dias 1.700 feirantes vindos do país inteiro, cerca de 320 mil pessoas circularam pelo Parque da Água Branca para conferir de perto a diversidade de alimentos, atrações culturais e atividades políticas. 

Continua após publicidade

Além da diversidade alimentar e cultural, a feira também reuniu lideranças políticas, passaram pelo o evento o vice-presidente da república, Geraldo Alckmin, e alguns ministros do governo Lula. Eles criticaram a iniciativa de parte do congresso de investigar o MST por meio de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI). “Eu sou muito cauteloso com essa história de CPI. O trabalho do legislativo é diferente, não é policialesco”, disse o vice-presidente Geraldo Alckmin.

Já o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Márcio Macêdo, avaliou que quem propõe a CPI deve conhecer o trabalho do MST. “Se as pessoas que estão propondo essa CPI viessem aqui nessa feira iriam ver que não tem nada a ver com que eles estão debatendo. É uma CPI que não tem crimes para investigar.”

“O Congresso é espaço para isso. Infelizmente nasce uma CPI que eu espero que possa revelar porque é que estão puxando a investigação”, destacou o governador da Bahia, Jerônimo Rodrigues (PT).

o Ministro do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar, Paulo Teixeira, defendeu que a Companhia Nacional de Abastecimento - a Conab -  deva ficar dentro do escopo do seu ministério. A companhia tem sido cobiçada por setores do agronegócio. “A Conab trabalha com o agricultor familiar. Qual é o programa mais forte da Conab hoje? É o PAA, Programa de Aquisição de Alimentos, que pela lei essa aquisição tem que ser feita junto ao agricultor familiar. É um trabalho artesanal de diagnosticar a situação do agricultor familiar e chamar os outros parceiros para dar o apoio àquele agricultor familiar, não é a vocação do Ministério da Agricultura.”


Assista agora ao programa completo:


E tem mais!

Povos indígenas

A tese do marco temporal ganhou uma nova frente de batalha: o Congresso Nacional. Um projeto na Câmara dos Deputados quer tornar lei o entendimento que ainda está sendo analisado pelo Supremo Tribunal Federal, o que tem gerado protestos do governo Lula e de apoiadores da causa indígena.

Argentina

Após o governo neoliberal de Mauricio Macri, a Argentina atravessa uma intensa crise econômica, endividada com o fundo monetário internacional. O governo brasileiro tem buscado auxiliar o país vizinho, um dos principais parceiros comerciais, mas enfrenta as pressões internas de setores econômicos contrários à integração regional.
 

Edição: Rodrigo Durão Coelho