Desenvolvimento

Frente em defesa da indústria naval será lançada na Câmara dos Deputados

Retomada da indústria foi anunciada por Lula no início do ano; cerimônia ocorre nesta terça-feira (4), às 18h

Brasil de Fato | Porto Alegre (RS) |
Frente será presidida pelo ex-prefeito de Rio Grande, deputado federal Alexandre Lindenmeyer (PT-RS) - Foto: Guga Volks

O Congresso Nacional lançará a Frente Parlamentar Mista em Defesa da Indústria Naval Brasileira, nesta terça-feira (4), às 18h, no plenário 1 (Djalma Marinho), no anexo II da Câmara dos Deputados. Presidida pelo deputado federal Alexandre Lindenmeyer (PT-RS), tem como objetivo propor e apoiar iniciativas públicas e privadas que contribuam para o desenvolvimento e expansão do setor.

Continua após publicidade

Implantado durante o governo Lula, o Polo Naval de Rio Grande foi a grande esperança de reativação econômica da Metade Sul, a parte mais empobrecida do território gaúcho, mas acabou esquecido nos mandatos Temer e Bolsonaro.

A frente parlamentar tem o apoio de diversas instituições ligadas à pauta, entre elas o Sindicato Nacional da Indústria da Construção e Reparação Naval e Offshore (Sinaval).

:: Incentivo a carros favorece não apenas classe média, mas também alavanca empregos na indústria ::

A retomada da indústria naval foi anunciada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nos primeiros meses de 2023. Em maio deste, ano os presidentes da Petrobras, Jean Paul Prates, e da Transpetro, Sérgio Bacci, estiveram na cidade do Rio Grande (RS) para verificar a estrutura existente no polo.

“Acredito que o fortalecimento da indústria naval brasileira deve estar no centro de uma política de reindustrialização do Brasil, fundamental para o reposicionamento da nação na nova ordem econômica mundial”, destacou Lindenmeyer.

Ex-prefeito de Rio Grande, o deputado destaca que a iniciativa envolve no debate os diversos segmentos empresariais, de trabalhadores, universidades e o setor público. “É uma frente parlamentar para beneficiar todo o país, gerando desenvolvimento, emprego e renda para brasileiros e brasileiras”, pontuou. 

Para Lindenmeyer, o investimento na indústria naval já provou ser uma alternativa positiva para o país. Entre 2005 e 2018, foram erguidas mais de 350 embarcações e plataformas. Esses investimentos desenvolveram uma cadeia produtiva que envolveu setores como o siderúrgico, elétrico-eletrônico, madeireiro e mobiliário, químico, de transporte, maquinários, geração de energia e serviços. Os empregos no setor cresceram de 1.900, no ano 2000, para mais de 80 mil até 2014.

:: Como os juros altos prejudicam do dono do mercadinho à indústria no Brasil ::

“A indústria naval, por tudo isso, é estratégica para o Brasil. Sua potencialidade para gerar empregos, ampliar a renda das famílias e alavancar o desenvolvimento socioeconômico é imensa, e a Frente Parlamentar estará a serviço desse objetivo”, conclui o deputado.

Fonte: BdF Rio Grande do Sul

Edição: Marcelo Ferreira