Ausente

África do Sul anuncia que Putin não participará da cúpula do BRICS

Impasse sobre participação de presidente russo no evento está ligado ao mandado de prisão do TPI

Rio de Janeiro |
Presidente russo, Vladimir Putin, participará da cúpula dos BRICS por videoconferência - Ramil Sitdikov / Sputnik /AFP

O presidente russo, Vladimir Putin, não participará da cúpula do BRICS na África do Sul, que será realizada em agosto. A informação foi divulgada pelo site do gabinete do presidente sul-africano Cyril Ramaphosa. A Rússia será representada pelo ministro das Relações Exteriores, Serguei Lavrov. 

Continua após publicidade

De acordo com o gabinete do presidente sul-africano, esta decisão foi tomada de comum acordo entre os países.

"Por mútuo acordo, o presidente Vladimir Putin, da Federação Russa, não participará da cúpula, mas a Rússia será representada pelo Ministro dos Negócios Estrangeiros, sr. Serguei Lavrov", diz o comunicado.

A controvérsia sobre a participação ou não de Putin na cúpula está relacionada com a decisão do Tribunal Penal Internacional (TPI), que emitiu um mandado de prisão contra o presidente russo em 17 de março. O tribunal considera que o chefe de Estado é particularmente responsável ​​pela "transferência ilegal de crianças da Ucrânia para a Rússia" no contexto da guerra iniciada por Moscou contra o país vizinho.

Este documento significa que todos os países que ratificaram o Estatuto de Roma e todos os países que aceitam a jurisdição do tribunal (123 Estados) teriam que executar o mandado de prisão contra Putin assim que ele pisasse em seu território. A África do Sul está entre esses países.

Na última terça-feira (18), o presidente sul-africano, Cyril Ramaphosa, havia declarado que a prisão do presidente russo equivaleria a uma declaração de guerra à Rússia, acrescentando inclusive que Moscou deixou isso claro. 

Segundo ele, a África do Sul não tem capacidade de declarar ou travar guerra com a Rússia e não está disposta a fazê-lo. Ramaphosa também observou que o TPI expressou preocupação com "a ameaça nuclear da Rússia após a emissão de um mandado de prisão".

Anteriormente, a Rússia havia rejeitado a proposta do presidente sul-africano Cyril Ramaphosa de que a delegação russa na cúpula do BRICS, que será realizada em agosto, fosse liderada pelo ministro das Relações Exteriores da Rússia, Serguei Lavrov, ao invés do presidente russo.

Após o comunicado sul-africano, o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, informou que o presidente Vladimir Putin participará da cúpula do BRICS por videoconferência. 

"O presidente Putin decidiu participar da cúpula do BRICS no formato de uma videoconferência. Esta será uma participação plena. O ministro Lavrov estará presente na própria reunião", disse o porta-voz do Kremlin.

A cúpula será realizada em Joanesburgo, de 22 a 24 de agosto.

Edição: Thales Schmidt