ALERTA

Feminicídios: agentes de segurança são responsáveis por 21% dos casos no Grande Rio

Dados são do Instituto Fogo Cruzado e levam em conta também as tentativas de feminicídios

Brasil de Fato | Rio de Janeiro (RJ) |
Em 2023, a região metropolitana do Rio de Janeiro registrou 14 vítimas de feminicídios e tentativas de assassinato de mulheres com armas de fogo - Paulo H. Carvalho/Agência Brasília

Em 2023, a região metropolitana do Rio de Janeiro registrou 14 vítimas de feminicídios e tentativas de assassinato de mulheres com armas de fogo. Os dados são do Instituto Fogo Cruzado e apontam que 21% dos casos têm agentes de segurança como autores e principais suspeitos.

Continua após publicidade

Leia mais: O que se sabe sobre a relação entre a família Bolsonaro e o assassinato de Marielle?

O episódio mais recente ocorreu no último dia 20, a policial militar Aline Guizarra Costa foi baleada na Rua Frederico Méier, próximo ao 3º Batalhão da Polícia Militar, no Méier. Aline, que estava de folga quando foi alvo de quatro disparos, foi vítima de uma tentativa de feminicídio provocada pelo ex-namorado Paulo Afonso Macedo Martins, que também é policial militar. 

De acordo com o levantamento do Fogo Cruzado, nos últimos sete anos houve 85 vítimas em casos de feminicídios e tentativas de feminicídio por arma de fogo no Grande Rio; 63 mulheres foram mortas e 22 ficaram feridas; 14 destas vítimas foram baleadas em casos em que houve presença de agentes de segurança, deixando nove mulheres mortas e outras cinco feridas.

Fonte: BdF Rio de Janeiro

Edição: Jaqueline Deister