Guerra marítima

Ucrânia diz ter sofrido novo ataque russo em portos da região de Odessa

Ataque acontece em meio à liberação do primeiro cargueiro ucraniano Mar Negro desde que Rússia abandonou acordo de grãos

São Paulo |
Registro do Chefe da Administração Militar Regional de Odessa, Oleg Kiper, mostra armazéns danificados em um porto no rio Danúbio 16 de agosto de 2023. Telegram /@odeskaODA / AFP. - Telegram /@odeskaODA / AFP

A Ucrânia declarou que a Rússia realizou novos atacou contra suas instalações de armazenamento de grãos na madrugada desta quarta-feira (16). Ao mesmo tempo, foi relatado que um navio porta-contêineres deixou o porto de Odessa, desafiando a insegurança marítima na região, após a Rússia se retirar do acordo de grãos, que garantia a exportação de grãos ucranianos pelo Mar Negro. 

De acordo com a Força Aérea das Forças Armadas da Ucrânia, a Rússia atacou a Ucrânia com drones kamikaze na madrugada desta quarta-feira contra a infraestrutura portuária da região de Odessa. Os ataques teriam sido realizados por drones do tipo Shahed-136/131.

O relatório dos militares ucranianos aponta que os lançamentos foram feitos em várias séries na direção sudeste do país, sendo que 13 drones de ataque foram abatidos nas regiões de Odessa e Nikolaev. 

A Rússia tem atacado a região de Odessa desde meados de julho, logo após a retirada do acordo de grãos, alegando ter como alvo navios não tripulados.

Continua após publicidade

O chefe da administração militar regional, Oleg Kiper, disse que armazéns e celeiros foram danificados como resultado de ataques a um dos portos do rio Danúbio.

"O inimigo atingiu o território de um dos portos, destruindo hangares com grãos e equipamentos agrícolas", disse o comando operacional sul da Ucrânia. 

Ao mesmo tempo, o ministro da Infraestrutura da Ucrânia informou que o país liberou um navio porta-contêineres com mais de 30 mil toneladas de carga por um corredor temporário no Mar Negro. É a primeira embarcação cargueira liberada pelo Ucrânia no Mar Negro desde que a Rússia decidiu abandonar o acordo de grãos. Esta decisão suspendeu a zona de segurança no Mar Negro que o documento garantia. 

Segundo o ministro ucraniano, o cargueiro estava estacionado no porto de Odessa desde 23 de fevereiro do ano passado. Agora ele está se movendo em direção ao Bósforo.

Edição: Rodrigo Durão Coelho