Reforma agrária

MST ocupa terreno público abandonado no Distrito Federal

Movimento cobra assentamentos e afirma que é preciso retomar o debate das terras públicas para a reforma agrária

Brasil de Fato | Brasília (DF) |
Cerca de 200 famílias ocupam local, que é uma área pública abandonada - Foto: MST DFE

Na madrugada deste sábado (19), cerca de 200 famílias do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra do Distrito Federal e Entorno ocuparam uma área pública abandonada da Fundação Assistencial dos Servidores do INCRA (Fassincra), na região de Brazlândia, no Distrito Federal.

Continua após publicidade

Em nota, o MST- DFE pontuou que, em junho, ficou acordado em negociação com o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e a Superintendência de Patrimônio da União (SPU) uma solução para as famílias que vivem no acampamento Ana Primavesi, "que há cerca de três anos, se encontravam em profunda condição de vulnerabilidade, às margens de uma rodovia da Fazenda Sálvia, entre as regiões administrativas de Sobradinho e Planaltina, e às famílias do acampamento Zé Pereira, em Brazlândia".

Ainda em nota, o movimento destacou que as 200 famílias do acampamento Ana Primavesi querem "contribuir para a construção de uma política de Reforma Agrária robusta, tendo na produção de alimentos saudáveis, na Agroecologia, na Cooperação, no resgate da cultura camponesa e da soberania popular, seu sentido mais amplo, para que possamos trazer justiça social para o campo, cuidando dos bens natureza, lutando contra o agronegócio e a grilagem de terras".

O Brasil de Fato DF entrou em contato com a Superintendência do Incra no DF e aguarda posicionamento.

Fonte: BdF Distrito Federal

Edição: Flávia Quirino