ARTES PLÁSTICAS

Galeria de arte A Gentil Carioca comemora 20 anos com exposição gratuita de obras no centro do Rio de Janeiro

Exposição "Forrobodó" reúne nomes importantes da arte brasileira, como Adriana Varejão, Denilson Baniwa e Cildo Meireles

Brasil de Fato | Rio de Janeiro (RJ) |
a gentil carioca
Exposição de arte contemporânea fica em cartaz até 21 de outubro, no Saara, no centro do Rio, com entrada gratuita; na imagem, obra de Cabelo - Pedro Agilson

Uma das mais importantes galerias brasileiras de arte contemporânea, A Gentil Carioca, está completando 20 anos de atividade e inaugurou na semana passada a grande exposição coletiva “Forrobodó”, que celebra o potencial político, poético, estético e erótico das ruas.

Continua após publicidade

A mostra ocupará os dois casarões dos anos 1920 no Saara, no centro do Rio, onde funciona a sede carioca da galeria, com obras de cerca de 60 artistas, como Adriana Varejão, Anna Bella Geiger, Antonio Dias, Antonio Manuel, Cildo Meireles, Hélio Oiticica, Lenora de Barros, Denilson Baniwa, entre outros, que, de diversas formas, possuem uma relação com a galeria.

Continua após publicidade

Leia mais: CCBB do Rio de Janeiro apresenta uma das maiores retrospectivas da obra de Heitor dos Prazeres

Continua após publicidade

Pioneira em vários aspectos, A Gentil Carioca fez história ao longo dos anos, sendo a única galeria brasileira fundada por artistas plásticos – Márcio Botner, Ernesto Neto e Laura Lima. Além disso, a galeria, que hoje também tem Elsa Ravazzolo Botner como sócia, está localizada fora do circuito tradicional de galerias, no Saara, maior centro de comércio popular da cidade.

Continua após publicidade

"A Gentil já nasce misturada para captar e difundir a diversidade da arte no Brasil e no mundo. Tem como maior objetivo fazer-se um lugar para pensar, produzir, experimentar e celebrar a arte. Nossos endereços são lugares de concentração e difusão da voz de diferentes artistas e ideias", afirmam os sócios Márcio Botner, Ernesto Neto, Laura Lima e Elsa Ravazzolo Botner.

Com curadoria de Ulisses Carrilho, a exposição “Forrobodó” apresenta obras em diferentes técnicas, como pintura, fotografia, escultura, instalação, vídeo e videoinstalação, de cerca de 60 artistas, de diferentes gerações, entre obras icônicas e inéditas, produzidas desde 1967 – como o “B47 Bólide Caixa 22”, de Hélio Oiticica – até os dias atuais.

“Cruzaremos trabalhos de diversos artistas, a partir de consonâncias e ecos, buscando uma apresentação de maneira a ocupar os espaços da galeria em diferentes ritmos, densidades, atmosferas, cores e estratégias – como dramaturgias distintas de uma mesma obra”, conta o curador.

O nome “Forrobodó” vem da opereta de costumes composta por Chiquinha Gonzaga. “A grande inspiração para a exposição foi a personalidade da galeria, que tem uma certa institucionalidade, com projetos públicos, aliada a uma experimentabilidade, com vernissages nada óbvios para um circuito de arte contemporânea”, conta Ulisses Carrilho.

Ocupando todos os espaços da galeria, as obras estarão agrupadas por ideias, sem divisão de núcleos. No primeiro prédio, haverá uma sala que aponta para o comércio popular, para a estética das ruas, em referência ao local onde a galeria está localizada. Neste mesmo prédio, na parte da piscina, “haverá uma alusão aos mares, que nos fazem chegar até os mercados, lugar de trânsito e troca”, explica o curador.

No segundo prédio, a inspiração do curador foi o escritor Dante Alighieri, sugerindo uma ideia de inferno, purgatório e paraíso em cada um dos três andares. Nessa área  estão a bandeira avermelhada de Antonio Dias e a pintura de Antonio Manuel, além das formas orgânicas de Maria Nepomuceno e trabalhos de Aleta Valente sobre os motéis da Avenida Brasil.

Os artistas que participam da exposição são: Adriana Varejão, Agrade Camíz, Aleta Valente, Ana Linnemann, Anna Bella Geiger, Antonio Dias, Antonio Manuel, Arjan Martins, Bob N., Botner e Pedro, Cabelo, Cildo Meireles, Claudia Hersz, Denilson Baniwa, Fernanda Gomes, Guga Ferraz, Hélio Oiticica, Neville D´Almeida, João Modé, José Bento, Lenora de Barros, Lourival Cuquinha, Luiz Zerbini, Marcela Cantuária, Marcos Chaves, Maria Laet, Maria Nepomuceno, Maxwell Alexandre, Novíssimo Edgar, O Bastardo, Paulo Bruscky, Rafael Alonso, Rodrigo Torres, Sallisa Rosa, Vinicius Gerheim, Vivian Caccuri, entre outros. 

Serviço

20 anos A Gentil Carioca – Exposição Forrobodó

Exposição: até 21 de outubro de 2023

Rua Gonçalves Lêdo, 11/17, sobrado, Centro, Rio de Janeiro

De terça a sexta, das 12h às 18h
Sábado, das 12h às 16h

Entrada gratuita

Fonte: BdF Rio de Janeiro

Edição: Eduardo Miranda