crise humanitária

Crianças indígenas são amarradas e sofrem ameaças de garimpeiros na Terra Indígena Yanomami

O Ministério dos Povos Indígenas classificou como "inadmissíveis" fatos denunciados pela Hutukara Associação Yanomami

Brasil de Fato | Rio de Janeiro (RJ) |
Crianças indígenas são amarradas em troncos por garimpeiros em reserva - Reprodução

Uma denúncia da Hutukara Associação Yanomami divulgada nesta quarta-feira (20) mostra vídeos em que duas crianças e um adolescente indígenas aparecem amarrados a troncos de árvores e sendo ameaçados por garimpeiros dentro da Terra Indígena Yanomami, na região de Surucucu, em Roraima. 

Continua após publicidade

Os vídeos teriam sido gravados na tarde de terça-feira (19) pelos próprios invasores em Hakoma, um dos locais com maior índice de garimpo ilegal do país. As terras Yanomami se situam nos estados do Amazonas e de Roraima.

:: Só restam os garimpeiros ligados ao narcotráfico na TI Yanomami, diz ministra Sonia Guajajara ::

Em um momento da gravação, os garimpeiros acusam os Yanomami de terem furtado celulares. No meio da mata, enquanto grava, o homem grita: “Tira o cartucho, tira o cartucho, traz o celular, traz o celular. Cadê o celular? Pode amarrar. Vá buscar os cartuchos da espingarda". Em outro trecho, os três indígenas estão amarrados a postes de madeira.

A Associação Hutukara Yanomami enviou um ofício ao Ministério Público Federal, à Polícia Federal, à Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai) e ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), em que afirma que não foi possível apurar como terminou o episódio.

:: Terra Indígena Yanomami tem queda de 80% nas áreas atingidas por garimpo ilegal, diz Ministério da Defesa  ::

Dario Kopenawa, vice-presidente da Hutukara Associação Yanomami, pediu apuração urgente do caso. "Uma violência brutal na região do Hakoma que aconteceu isso, e as crianças estão correndo risco nessa região. E os garimpeiros amarraram as crianças. Isso a gente recebeu. Por isso, nós estamos preocupados", diz. 

O Ministério dos Povos Indígenas classificou como "inadmissíveis" os fatos denunciados e disse ainda que está se articulando com outros órgão com o objetivo de garantir "providências urgentes para averiguação, denúncia e punição dos responsáveis por este caso". 

Situação dos Yanomami

A área atingida pelo garimpo ilegal na Terra Indígena Yanomami caiu 78,5% entre janeiro e setembro de 2023, em comparação com o mesmo período do ano passado.

Os dados foram divulgados na última sexta-feira (15) pelo Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam), do Ministério da Defesa. 

:: Políticos, militares e traficantes: quem atrasa a expulsão dos garimpeiros da terra Yanomami? ::

Os garimpeiros que permanecem no local são os mais perigosos, pois estão ligados ao narcotráfico e ao crime organizado, afirma a ministra dos Povos Indígenas, Sonia Guajajara.

Na terra indígena Yanomami, o garimpo ilegal provocou uma crise humanitária que, ignorada pelo governo de Jair Bolsonaro (PL), resultou na morte por causas evitáveis de pelo menos 570 crianças indígenas.

:: Defendendo sonhos: filme Yanomami traduz cosmovisão xamânica sobre impactos do garimpo  ::

Entrevista com Dário Kopenawa:

Edição: Vivian Virissimo