Povos tradicionais

MPF e Defensorias Públicas querem audiência emergencial com governador da Bahia após chacina contra ciganos

Após chacina de família cigana, órgãos cobram medidas do estado para diminuir violência contra povo cigano na Bahia

Brasil de Fato | Salvador (BA) | |
Órgãos apontam escalada de violência contra povo cigano na Bahia e cobram medidas do estado - Agência Brasil

O Ministério Público Federal (MPF), a Defensoria Pública da União (DPU) e a Defensoria Pública do Estado da Bahia (DPE-BA) pediram, em caráter emergencial, uma audiência com o governador da Bahia, Jerônimo Rodrigues (PT), para tratar da violência contra povos ciganos no estado.

Continua após publicidade

O encontro visa a adoção de medidas efetivas para a proteção dessas comunidades. Na madrugada da última quinta-feira (5), uma chacina vitimou seis pessoas da mesma família de ciganos, incluindo uma criança e uma mulher grávida de nove meses, em Jequié (BA).

Continua após publicidade

Em ofício encaminhado ao governador, os órgãos pontuam que este é mais um trágico acontecimento de uma série de episódios de violência contra povos ciganos ocorridos no estado nos últimos anos. O documento cita como exemplo o assassinato de uma família de oito pessoas, em Vitória da Conquista, em 2021, além de cinco assassinatos cometidos em um intervalo de 24 horas nos municípios de Camaçari, Dias D’Ávila e Santo Amaro, em janeiro deste ano.

Continua após publicidade

Para os procuradores da República Ramiro Rockenbach Teixeira, Marcos André Carneiro Silva e Marília Siqueira da Costa, que assinam o ofício, “a violência contra os povos ciganos, com toda espécie de discriminação e discursos de ódio, atravessa o curso da própria história, tornando-os vítimas incessantes de preconceitos negativos generalizados”.

Continua após publicidade

Segundo eles, além da devida e ágil apuração para responsabilizar os autores dos crimes, é preciso que sejam adotadas medidas efetivas para frear a violência contra esses povos. A estratégia de ação deve ser construída e aplicada em conjunto com as próprias comunidades ciganas.

Chacina de Jequié

Na madrugada de quinta-feira (05), seis pessoas de uma mesma família de ciganos foram mortas a tiros por homens encapuzados, que invadiram a casa da família e atiraram várias vezes. Todas as vítimas morreram no local. Entre elas estava uma criança de 4 anos e uma mulher grávida de nove meses.

O crime ocorreu no município de Jequié, que fica a 365 km de Salvador. De acordo com dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Jequié é o município mais violento do país, com índice de 88,8 assassinatos para cada 100 mil habitantes.

* Com informações do MPF.

Fonte: BdF Bahia

Edição: Gabriela Amorim