VIOLÊNCIA

Polícia no RJ prende suspeito de envolvimento em estupro coletivo de menina de 15 anos

Crime aconteceu em Nova Iguaçu e pelo menos 30 vídeos do ato foram compartilhados nas redes sociais

Brasil de Fato | Rio de Janeiro (RJ) |
estupro rj
Adolescente recebeu atendimento médico após a denúncia e depõe nesta quarta-feira (8) - Reprodução/TV Globo

A polícia prendeu nesta quarta-feira (8) um dos suspeitos de envolvimento no estupro coletivo de uma jovem de 15 anos, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Na última terça-feira (7), o homem, de 22 anos, havia prestado depoimento na Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) e, logo em seguida, sua prisão foi pedida.

Continua após publicidade

Leia mais: Adolescente vítima de estupro coletivo descobriu crime por vídeos nas redes sociais

Ontem, ele chegou a postar um vídeo admitindo que "a brincadeira passou do limite", mas que os vídeos o mostram "apenas fazendo essa brincadeira".

O crime aconteceu na semana passada na casa de uma amiga da vítima. A adolescente relatou que estava dormindo quando pelo menos nove rapazes chegaram e a acordaram. Ela acusa dois homens, de 20 e 22 anos, pelo abuso. Nos vídeos, a vítima aparece desacordada enquanto é violentada.

A partir da denúncia, a Polícia Civil encontrou pelo menos 30 vídeos do estupro. O material foi gravado e compartilhado na última sexta-feira (3) de um celular que pertence a um rapaz de 16 anos.

A vítima é a mais nova de três irmãs. Ao G1, uma delas contou que soube do estupro quando os vídeos apareceram. O caso foi transferido para a Deam de Nova Iguaçu.

“Ligaram para o meu serviço na sexta de manhã pedindo para eu buscá-la. Encontrei com a boca espumando. Perguntei se eles tinham usado drogas, mas disseram que não. Foi quando recebi uma ligação perguntando se eu já tinha visto os vídeos na internet, eram os vídeos do que fizeram com ela. Foi assim que ela ficou sabendo e disse: ‘Como assim? Eu não lembro de nada disso!’”, contou a irmã da vítima.

A irmã da vítima disse que a jovem está abalada e recebendo ataques nas redes sociais. “É nojento tudo que foi feito. Ela não queria ficar com um dos meninos e, por isso, foi dopada e abusada. Fizeram aquilo com a minha irmã e ainda gravaram. Ela está muito triste com tudo o que aconteceu. Além disso, ela está recebendo vários ataques nas redes sociais”, afirmou.

Fonte: BdF Rio de Janeiro

Edição: Eduardo Miranda