ASSISTA

No Bem Viver, conheça o Entreposto Viva Babaçu, uma conquista histórica das quebradeiras de coco do Tocantins

Bem Viver traz a luta pela preservação e geração de renda das mulheres que vivem do coco babaçu no Cerrado

Brasil de Fato | São Paulo (SP) |
Entreposto Viva Babaçu, um espaço de beneficiamento e comercialização totalmente gerido pelas próprias quebradeiras - Mariana Castro

Considerada uma mãe, a palmeira de babaçu é o meio de sobrevivência de muitas famílias nas regiões de Cerrado, a exemplo do Bico do Papagaio, que envolve municípios rurais no extremo Norte do Tocantins. Nessa região, mais de 500 mulheres se organizam em entidades e coletivos, que hoje comemoram a conquista do Entreposto Viva Babaçu, um espaço de beneficiamento e comercialização de produtos.

Continua após publicidade

Bem Viver, programa do Brasil de Fato, fala sobre essa conquista histórica para as quebradeiras que, ao longo da história, têm seu trabalho desvalorizado no mercado informal pelos chamados atravessadores.

Continua após publicidade

Socorro Teixeira uma das quebradeiras de coco da Associação Regional das Mulheres Trabalhadoras Rurais do Bico do Papagaio (ASMUBIP), celebra. "Isso aqui vai trazer muita beleza e riqueza para nós, na questão de geração de renda para nossas mulheres, para nossas famílias, para nós quebradeiras... E também trazer a questão de estar ajudando a gente na preservação do babaçu, por isso a gente deu o nome de Viva Babaçu, porque a gente precisa do nosso babaçu vivo e em pé."

Continua após publicidade

Com a garantia de estrutura ampla, maquinário e profissionalização, a inauguração do entreposto contou com o lançamento da marca "Viva Babaçu", que tem como produto carro chefe a farinha de mesocarpo, como explica a gerente Mayana Fernandes.

Continua após publicidade

"Ele vai fazer o beneficiamento do floco do babaçu, a gente vai transformar ele em farinha de mesocarpo, que é muito nutritivo e na alimentação serve para mingau, bolo, biscoito e também é medicinal", conta.

Com o apoio de entidades parceiras e projetos ligados à sociobiodiversidade, o espaço é totalmente gerido pelas próprias quebradeiras, que das rodas de quebra levam agora os produtos para as prateleiras. A Organização Não Governamental (ONG) Alternativas para a Pequena Agricultura no Tocantins (APA-TO) é uma delas.

"Com o fato de o entreposto ser hoje regularizado através da vigilância sanitária, as quebradeiras passam a poder comercializar não só no mercado informal, como no mercado formalizado, como o marketplace, supermercados, comércios, além dos mercados institucionais, como PAA, PNAE [respectivamente, Programa de Aquisição de Alimentos e Programa Nacional de Alimentação Escolar, políticas do governo federal de apoio à agricultura familiar por meio de compras públicas] , ampliando as oportunidades de acesso ao mercado", pontua Yuki Ishii, representante da organização.

Para as quebradeiras, o Entreposto Viva Babaçu fortalece também a luta em defesa dos babaçuais na região. "Nós somos quebradeiras, por isso lutamos por elas [as palmeiras de babaçu], porque é delas que sobrevivemos. Estou muito feliz, todas as companheiras que estão aqui presentes também estão muito felizes por essa inauguração e por essa conquista", afirma Socorro.

E tem mais...

O programa também traz as meninas e mulheres na ciência. Vamos celebrar os avanços e entender os desafios.

Tem panqueca no Comida de Verdade. Vamos aprender com a Gema Soto, da Gastronomia Periférica, a preparar uma deliciosa receita de panqueca com banana, ou cambur em espanhol.

E nós vamos para Cuba, mergulhar em um encontro de poetas cubanos e estadunidenses que lutam contra o bloqueio econômico dos Estados Unidos contra o país caribenho.

Na Dica de Saúde, a personal Jessica Batalha da importância do cuidado com a hidratação.

Quando e onde assistir 

No YouTube do Brasil de Fato, todo sábado, às 13h30, tem programa inédito. Basta clicar aqui.

Na TVT: sábado, às 13h30; com reprise aos domingo (às 6h30) e terça-feira (às 20h), no canal 44.1 – sinal digital HD aberto na Grande São Paulo e canal 512 NET HD-ABC

Na TVCom Maceió: sábados, às 10h30, com reprise aos domingos (às 10h), no canal 12 da NET.

Na TV Floripa: sábados, às 13h30, com reprise ao longo da programação, no canal 12 da NET.

Na TVU Recife: sábados, às 12h30, com reprise às terça-feira (às 21h), no canal 40 UHF digital.

Na TVE Bahia: sábados, às 12h30, com reprise quinta-feira (às 7h30), no canal 30 (7.1 no aparelho) do sinal digital.

Na UnBTV: sextas-feiras, às 10h30 e às 16h30, em Brasília no Canal 15 da NET.

TV UFMA Maranhão: quintas-feiras, às 10h40, no canal aberto 16.1, Sky 316, TVN 16 e Claro 17.

Sintonize

No rádio, o programa Bem Viver vai ao ar de segunda a sexta-feira, das 11h às 12h, com reprise aos domingos, às 10h, na Rádio Brasil Atual. A sintonia é 98,9 FM na Grande São Paulo e 93,3 FM na Baixada Santista.

O programa também é transmitido pela Rádio Brasil de Fato, das 11h às 12h, de segunda a sexta-feira. O programa Bem Viver também está nas plataformas Spotify, Google Podcasts, Itunes, Pocket Casts e Deezer.

Assim como os demais conteúdos, o Brasil de Fato disponibiliza o programa Bem Viver de forma gratuita para rádios comunitárias, rádios-poste e outras emissoras que manifestarem interesse. Para fazer parte da nossa lista de distribuição, entre em contato pelo e-mail: [email protected].

Edição: Marina Duarte de Souza