8 DE MARÇO

Mulheres ocupam agência da Previdência Social em Belo Horizonte

Chamada de “Abraço à Previdência”, ação faz parte do Dia Internacional de Luta das Mulheres

Belo Horizonte

,
Cerca de mil pessoas participam da manifestação / Mídia NINJA

Em um ato em defesa da Previdência Social, mulheres do campo e da cidade acabam de ocupar uma agência da Previdência Social, na avenida Amazonas, no centro de Belo Horizonte. Cerca de mil pessoas participam da ação nesta quarta (8). “Esta ocupação, que simboliza o nosso abraço, o nosso zelo pela Previdência, cumpre um papel importante na conscientização das trabalhadoras. É uma forma de dialogar com as mulheres e mostrar a todas o quanto estamos perdendo com essas mudanças”, diz Fernanda Maria, do Levante Popular da Juventude.

Atividades

Desde terça-feira (7), as manifestantes estavam acampadas na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), onde realizaram debates e estudos sobre a reforma da Previdência. O combate ao desmonte da Previdência Social foi escolhido como mote do Dia Internacional das Mulheres em todo o Brasil. Para Bernadete Monteiro, da Marcha Mundial das Mulheres, essa é a pauta principal para quem vive no Brasil neste momento. “Todos os trabalhadores sairão perdendo com essa reforma, mas nós mulheres vamos perder ainda mais. Uma das principais propostas é anular o diferencial de tempo de contribuição entre homens e mulheres, o que significa ignorar toda a luta em torno do reconhecimento da dupla e até mesmo tripla jornada de trabalho das mulheres, no trabalho doméstico e de cuidados”, afirma.

Tramitação

A reforma da Previdência tramita em Comissão Especial na Câmara dos Deputados, sob a forma da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 287. O texto, proposto por Michel Temer, propõe mudanças drásticas na aposentadoria, que vão desde o fim da diferenciação no tempo de contribuição para mulheres e homens, o aumento da idade mínima para aposentadoria, até a precarização e sucateamento da aposentadoria rural.

Edição: Joana Tavares