Curitiba

Servidores municipais realizam ato contra ‘pacotaço’ de Greca, em Curitiba

Mobilização deve contribuir no diálogo com moradores de comunidades

Brasil de Fato | Curitiba (PR)

,
Servidores municipais protestam contra medidas propostas pelo prefeito Rafael Greca / Sismuc

Em protesto às medidas previstas no pacote de projeto de leis proposto pelo prefeito de Curitiba, Rafael Greca, cinco sindicatos municipais organizam um ato no próximo dia 3 de junho. 

A mobilização vai ser realizada na praça em frente à escola Alberto Schweitzer, na Vila Nossa Senhora da Luz (Cidade Industrial de Curitiba). A atividade deve ser uma forma de os servidores municipais dialogarem com a população das comunidades de periferia, que será diretamente impactada pelo pacote de projetos de leis.

Entre as medidas previstas no pacotaço está o projeto sobre o Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) - que exclui o desconto de 2,4% sobre imóveis com valor entre R$ 140 mil e R$ 300 mil - e a proposta de taxação da coleta de lixo desvinculada do Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU).

Pacotaço

Chamado pela prefeitura de “Plano de Recuperação de Curitiba”, o  projeto de Rafael Greca (PMN) é chamado de “pacote da maldade” entre os servidores municipais. A proposta reúne 12 medidas de ajuste fiscal sob a justificativa de conter a crise econômica na cidade. Sindicatos e trabalhadores, porém, apontam que grande parte do plano afeta diretamente os direitos dos servidores municipais e da população, enquanto preserva os privilégios dos grandes empresários.

Em reação ao projeto, servidores ficaram acampados na praça Eufrásio Correa, ao lado da Câmara Municipal, entres os dias 16 e 23 de maio. No dia 22, os manifestantes também ocuparam o prédio da Câmara, e barraram, temporariamente, a votação das propostas na Comissão de Legislação, Justiça e Redação.

::  Veja aqui os pontos polêmicos do pacote

Edição: Pedro Carrano