Greve Geral

Confira as cidades do Paraná com protestos marcados para esta sexta-feira (30)

As ações fazem parte da greve geral contra as reformas propostas pelo governo de Michel Temer (PMDB)

Brasil de Fato | Curitiba (PR)

,

Ouça a matéria:

Em Curitiba, ao menos cinco categorias devem paralisar as atividades / Gibran Mendes

Nesta sexta-feira (30), trabalhadores em todo o país aderem a paralisações e mobilizações contra as reformas trabalhista e previdenciária propostas pelo governo golpista de Michel Temer (PMDB). Será a segunda greve geral mobilizada em 2017. A bandeira das "Diretas Já" também é forte entre as mobilizações.

Em Curitiba, mobilizações locais integram o dia nacional de paralisações e lutas. Entre as categorias que já sinalizaram adesão ao movimento, parcial ou integralmente, estão os professores e funcionários da rede estadual de educação; petroleiros e petroquímicos de Araucária, bancários de Curitiba e região; técnicos administrativos das duas universidades federais do Paraná, a UFPR e a UTFPR; funcionários dos correios; e docentes da UFPR. As informações foram divulgadas pelos sindicatos das categorias.

Na capital, ocorrem duas mobilizações de rua, concentradas na Boca Maldita, Centro da cidade. A partir das 10h haverá panfletagem no local e, ao meio dia, começa o ato unitário das centrais sindicais - CUT, CSB, CSP Conlutas, CTB, Força Sindical, Nova Central Sindical e UGT -, com participação de peso dos professores da Rede Estadual de Educação e de categorias de outros sindicatos e movimentos sociais. Às 17h, um novo ato está agendado para o mesmo local, mobilizado pelo movimento CWB Resiste.

Os trabalhadores em coleta de lixo, conservação e limpeza pública anunciaram sua adesão ao dia de protestos em todo o país. O sindicato da categoria – Siemaco – informou que realizará ações em diversos locais de trabalho e mobilizações relâmpago de até uma hora.

Às 6 horas da manhã, em frente a empresa Cavo da rua João Negrão, Centro, mais de 1.500 funcionários da limpeza pública de Curitiba participam da iniciativa sindical, que fará passagem nos locais de trabalho para conversar sobre os riscos das reformas trabalhista e previdenciária.

A rede estadual de educação também adere à greve no dia 30. O Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Paraná, APP-Sindicato, convoca a categoria para as mobilizações em Curitiba e em municípios do interior, para além da paralisação.

Confira mais cidades em que há mobilização marcada para esta sexta:

Araucária

A prefeitura da cidade é o ponto de concentração, a partir das 8h30. A partir dali, os participantes seguirão em caminhada até o INSS. Ao meio dia, os servidores públicos municipais farão um "marmitaço" pelo reajuste do vale-alimentação e pelo retorno do abono dos aposentados. Às 13h30, está marcado um debate sobre a  reforma da previdência. Novamente em frente à prefeitura, haverá uma assembleia unificada. 

Na região onde está a Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar) e a Fábrica de Fertilizantes do Paraná (Fafen), estão previstas mobilizações para o período da manha, organizadas pelos sindicatos do trabalhadores petroleiros (Sindipetro) e dos petroquímicos (Sindiquímica).

Cascavel

As atividades começam às 8h30, com um seminário sobre a reforma trabalhista, com palestra do advogado e professor Marcelo Navarro, na Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), localizada na rua Universitária, número 2069, bairro Jardim Universitário. A ação é fruto da articulação de entidades que fazem parte do Fórum Sindical de Cascavel. Às 10h, haverá um ato público em frente ao Núcleo Regional de Educação, na Avenida Brasil, número 2040, Bairro São Cristóvão, mobilizado pela APP-Sindicato.

Campo Mourão

Concentração partir das 9h, em frente ao edifício Antares, na rua Capitão Índio Bandeira, calçadão central da cidade. A ação é organizada pela Frente Brasil Popular, que reúne sindicatos e entidades.

Francisco Beltrão

A Agência do INSS também será o ponto de concentração do ato em Francisco Beltrão, que concentrará as mobilizações da região Sudoeste do estado. A ação começar a partir das 8h30, e segue em caminha e panfletagem a partir das 9h30, passando pelo Terminal Rodoviário e chegando na Praça Central. A ação é organizada por dezenas de entidades, movimentos sociais e sindicatos.

Foz do Iguaçu

As ações começam às 5h, com uma vigília no Bosque Guarani, rua Tarobá, número 875, Centro da cidade. No mesmo local, a partir das 8h, começa a manifestação. A ação é organizada por centrais sindicais e dezenas de sindicatos e movimentos, reunidos na articulação Unidade Sindical e Popular de Foz do Iguaçu.

Londrina

A concentração para as atividades está marcada para começar às 9h, em frente ao Banco do Brasil, calçadão da Rua Professor João Cândido, Centro da cidade, com apresentações musicais e discursos de lideranças sindicais, representantes de movimentos sociais e comunidade em geral. A ação é organizada por diversos sindicatos e movimentos.

Maringá

A mobilização começa às 9h, em frente à Agência do INSS, localizada na Avenida XV de Novembro, número 491, Centro da cidade.

Medianeira

Mobilização marcada para começar às 10h, na Praça Angelo Darolt, Avenida Brasília, Centro da cidade.

Paranaguá

O ato será na Praça 29 de julho, no Centro de Paranaguá. Uma batucada vai abrir a manifestação às 18h. A partir das 19h, está prevista uma Aula Pública sobre a conjuntura atual do Brasil e a reforma da previdência, com participação de professores e militantes. Um plenária aberta está prevista para ocorrer às 20h. A ação é organizada pela Frente de Lutas Contra o Golpe do Litoral do Paraná.

Ponta Grossa

A concentração será na Praça da Igreja dos Polacos, às 8h30, e às 10h os participantes seguirão em marcha até o Parque Ambiental, pela Avenida Vicente Machado. A partir das 13h30, haverá atividades Culturais no Palco da Estação da Saudade, ao lado do Paraguaizinho. As atividades são mobilizadas pelas Frentes Brasil Popular Campos Gerais e Povo Sem Medo.

 

>> Sabe de outro município do Paraná onde haverá manifestação? Entre em contato conosco pelo e-mail: bdfparana@gmail.com; ou envie uma mensagem pelo facebook: https://www.facebook.com/BDFPR/ 

 

 

Edição: Brasil de Fato PR