Manifestação

Jovens realizam escracho em frente à casa do presidente do Senado, Eunício Oliveira

Político cearense foi citado na Lava Jato, pertence à bancada ruralista e tem patrimônio avaliado em R$99 milhões

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,

Ouça a matéria:

“Eunício Oliveira, junto a Michel Temer, é um dos nossos principais inimigos no Senado Brasileiro", disse jovem / Lucas Calisto/Levante Popular da Juventude

Na manhã desta quinta-feira (27), cerca de 200 jovens do Levante Popular da Juventude (LPJ), do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) realizaram um ato político em frente à mansão do político cearense e presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB). A residência se localiza em Aldeota, bairro nobre de Fortaleza (CE).

Eleito no início deste ano para o biênio 2017/2018 à frente da Casa Legislativa, Oliveira é o 8º presidente ruralista eleito para o Senado em 20 anos, segundo levantamento organizado pelo portal De Olho nos Ruralistas. Quase todos pertencem ao PMDB, partido de Eunício e também do presidente golpista, Michel Temer. Megalatifundiário, ele também foi citado na operação Lava Jato sob acusação de ter recebido R$ 2 milhões da Odebrecht.

De acordo com nota divulgada, o objetivo do escracho é denunciar o senador como um dos articuladores do processo parlamentar e midiático que retirou Dilma Rousseff (PT) da Presidência da República em maio de 2016, além de apoiador das reformas impopulares impostas por Michel Temer (PMDB) desde então.

“Eunício Oliveira, junto a Michel Temer, é um dos nossos principais inimigos no Senado brasileiro e, consequentemente para toda a juventude e trabalhadores”, diz Roberto Oliveira, membro da coordenação do MAB.

Chamada pelos manifestantes de "Escrachos aos golpistas", os integrantes explicam que a ação da juventude se soma a uma jornada de lutas que acontece em todo o Brasil. O objetivo seria denunciar os parlamentares e senadores envolvidos no golpe político que culminou no processo de impeachment de Rousseff. 

Desde terça-feira (24), o MST realiza uma jornada de lutas com o lema "Corruptos, devolvam nossas terras!", realizando uma série de ocupações em terras improdutivas de políticos e empresários brasileiros em diferentes estados.

Os jovens apontam ser necessária uma ampla mobilização contra a retirada de direitos sociais impostas com a reforma previdenciária e trabalhista.

“Temos enfrentado diversos retrocessos sociais nos últimos meses, como a PEC 55, reforma do ensino médio e a reforma trabalhista. Todas aprovadas por estes mesmos políticos, que hoje, representam uma ameaça e são inimigos do povo”, argumenta Tamyres Lima, membra da coordenação nacional do Levante Popular da Juventude.

Foto: Lucas Calisto/Levante Popular da Juventude)

O político

Eunício de Oliveira é um dos políticos brasileiros mais ricos, com patrimônio declarado de R$ 99 milhões. Quatro anos antes, na eleição em que se elegeu senador, ele tinha declarado patrimônio de R$ 36,7 milhões.

Além disso, o cearense é dono de empresas de limpeza, transporte de valores e vigilância com contratos de R$ 703 milhões com bancos da União. Ele também possui diversas propriedades em Goiás, com milhões de cabeças de gado.

Em sua história, ele tem a ocupação de sua maior fazenda, a propriedade agropecuária Santa Mônica, com 20 mil hectares de terra, ocupada pelo MST. As famílias sem-terra foram despejadas em 2015 e, segundo o movimento, toda a área é improdutiva. A fazenda seria utilizada para lazer.

Edição: Camila Rodrigues da Silva