literatura

Terceira Feira Literária da Zona Sul celebra cultura independente da periferia

Evento realiza diversas atividades literárias e culturais em setembro na região do Campo Limpo (SP)

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,

Ouça a matéria:

Mais de 5 mil pessoas são esperadas para a terceira edição da Feira, que será gratuita e percorrerá diversos espaços da Zona Sul / João Claudio de Sena

Rodas literárias, atrações musicais e circenses se espalharão pela região do Campo Limpo, em São Paulo, através da Feira Literária da Zona Sul (FELIZS). A feira chega à terceira edição neste ano, e acontece de 11 a 23 de setembro.

A feira foi idealizada no Sarau do Binho, que desde 1995 reunia artistas em um antigo bar no município de Taboão da Serra, na região metropolitana de São Paulo. Em entrevista à Radioagência Brasil de Fato, um dos fundadores do Sarau, o Binho, explica o início da proposta: "Foi criando um caldo cultural na região, envolvido com o hip hop, não conectado diretamente, mas foi importante para a valorização da cultura local da auto-estima, dos bairros, da região".

Com o tema “Onde habita a poesia?” a feira homenageará Renato Palmares, poeta da cidade de Campinas. Renato, que mora na Zona Sul da capital paulista desde 1976, é autor de obras como “Memórias de um mendigo sem malícia” (1993) e “As vozes de Paulo Eiró” (2004).

O evento também será palco da união de artistas independentes da periferia com grandes nomes da literatura nacional, como a escritora Conceição Evaristo. A produtora Diane Padial fala sobre essa articulação: "A ideia é que a gente tenha essa troca, possa trocar com outras pessoas que de alguma forma nós nos identificamos, pra que a gente possa fazer a troca do conhecimento, de outras produções que estão acontecendo e mostrar o que tem aqui e poder ver o que tem do lado de lá".

A produção literária da periferia também será incentivada com a presença de edições independentes, como é o caso da FiloCzar, que já participou de edições anteriores da feira e que acredita no fomento da literatura através de coletivos como o próprio Sarau do Binho, Cooperifa, como conta o editor César Mendes: "Lançamos o poeta Casulo, o augusto cerqueira, o Casulo foi com o livro "Do olhos para fora mora a liberdade", o Augusto "na década de 10, volume 1", tem o Márcio Ricardo, do Grajaú, que participa do CAPS (Centro de Arte Promoção social) e também tem o Cláudio Laureati, que escreve poesia e o Carlos Cruguer que participa do Sarau do Binho", conta Mendes.

Segundo Diane, a expectativa é de que 5 mil pessoas passem pela Feira. Todas as atrações são totalmente gratuitas e a programação completa está disponível no site da FELIZS.

Edição: Mauro Ramos