Decisão

Costa Rica elege novo presidente e, pela 1ª vez, uma mulher negra será vice

Segundo turno leva ao comando do Estado o política de centro Carlos Alvarado e Epsy Campbell Barr

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,
Centenas de apoiadores se reuniram na capital San José para comemorar a vitória / Daniel Bolaños/Instagram

Carlos Alvarado, o candidato da situação pelo Partido Ação Cidadã, ganhou neste domingo (1) o segundo turno das eleições presidenciais da Costa Rica, com mais de 60% dos votos. Como vice-presidente está a deputada, do mesmo partido, Epsy Campbell Barr, que será a primeira mulher negra no cargo no país.

Em segundo lugar na corrida presidencial, ficou Fabricio Alvorado Muñoz, candidato do Partido Restauração Nacional (PRN), que havia estado à frente no primeiro turno e liderava as pesquisas de intenção de voto no segundo. Deputado, jornalista e cantor evangélico, Alvorado Muñoz chamou a atenção por suas posturas conservadoras em relação a pautas como o aborto e o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Com discurso pautado pela unidade nacional, Alvarado e Campbell Barr comemoraram a vitória. “Meu dever será unir esta República”, afirmou o novo chefe de Estado da Costa Rica, que defendeu uma sociedade mais equitativa e progressista em seu pronunciamento na capital do país, San José. 

“É uma oportunidade para construir um governo nacional, reunindo as capacidades dos diferentes partidos políticos. O país votou por uma opção democrática e transparente, que respeita os direitos”, declarou Campbell Barr, deixando nítida sua alegria em construir um governo baseado no bem-estar da população da Costa Rica.

Carlos Alvarado, de 38 anos, é jornalista, escritor e integra o Partido Ação Cidadã desde 2002. Em sua trajetória política, foi Ministro do Desenvolvimento Humano e Ministro do Trabalho e Seguridade Social, entre 2016 e 2017. Com o resultado eleitoral, ele se torna o presidente mais jovem da história da Costa Rica e tem mandato de quatro anos.

Inédito

A chegada de Campbell à vice-presidência foi destacada pela mídia local e internacional pelo fato dela se tornar a primeira mulher negra a assumir o cargo no país, considerada uma conquista diante da cultura histórica racista que ainda vigora no país.

Campbell tem formação superior em Economia e Administração de Negócios, além de especialização e mestrado em Ciência Política na Universidade da Costa Rica. Ela tem se dedicado à defesa dos direitos das mulheres, desenvolvimento social e política fiscal.

Durante a campanha, Campbell assegurou que as mulheres são o motor da Costa Rica no século XXI e afirmou que as mesmas são indispensáveis na política, porque “as mulheres têm capacidades para aportar ao Estado” e à garantia do bem-estar comum.

Ela manifestou ainda que o  Partido Ação Cidadã trabalhará em conjunto com o Instituto Nacional da Mulher (Inamu), o Ministério do Trabalho e empresas privadas, para reduzir as brechas salariais entre homens e mulheres.

Jornada eleitoral

O dia de votação ocorreu com normalidade, sem incidentes e com pouca movimentação pelas ruas, segundo reportou a teleSUR. Mais de 3,2 milhões de costarriquenhos estavam aptos para votar nos mais de 2 mil centros de votação pelo país. A participação no pleito foi de 67%.

*Com informações da teleSUR.

Edição: Vivian Fernandes