Reconhecimento

Nobel da Paz argentino começa campanha por indicação de Lula ao prêmio

Adolfo Pérez Esquivel responde à notícia de prisão de Lula com carta e abaixo-assinado defendendo sua nomeação ao Nobel

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,
Argentino destacou programas sociais e erradicação da fome no país durante mandatos do ex-presidente / Ricardo Stuckert/Instituto Lula

Adolfo Pérez Esquivel, ativista, escritor e arquiteto argentino, vencedor do Prêmio Nobel da Paz em 1980 por sua atuação em defesa dos direitos humanos durante a ditadura militar argentina (1976-1983), iniciou uma campanha nesta quinta-feira (5) para garantir a nomeação de Luiz Inácio Lula da Silva ao Prêmio Nobel da Paz, em resposta ao anúncio da prisão do ex-presidente.

A carta, endereçada ao Comitê do prêmio na Noruega, já conta com mais de 40 mil assinaturas. Nela, Esquivel afirma que a “Paz não é apenas a ausência de guerra, nem se trata de evitar a morte de uma ou muitas pessoas, a Paz também é dotar os povos de esperança de futuro”.

Para embasar sua indicação, Esquivel afirma que o Prêmio deveria contemplar um personagem que fez tanto pela erradicação da fome, o que segundo ele, é um dos principais problemas do mundo contemporâneo. Segundo Informe da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), a fome hoje afeta mais de 815 milhões de pessoas no mundo. “Se trata de um flagelo e um crime que acomete os povos afetados pela pobreza (…) Por essa razão, se um governo nacional se converte em exemplo mundial de luta contra a pobreza e a desigualdade, contra a violência estrutural, merece um reconhecimento por sua contribuição à Paz na humanidade”.

O Nobel argentino lembrou da declaração de Lula quando assumiu a presidência em 2003. Naquela ocasião, o então presidente afirmou que era necessário vencer a fome, a miséria e a exclusão social, e disse que com programas como o Fome Zero e o Bolsa Família, ele conseguiu tirar da pobreza extrema mais de 30 milhões de pessoas. Ele atribuiu ao ex-presidente conquistas como a queda de pessoas que viviam com menos de US$ 3 dólares ao dia de 11% em 2003 para 4% em 2012, segundo o Banco Mundial.

Também ressalta a queda do desemprego durante seu mandato e o crescimento do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) pela implementação de programas de saúde e educação pública, aumentando a expectativa de vida e a escolaridade média do país.

“O governo Lula foi uma construção democrática e participativa com meios não violentos que elevou o nível de vida da população e deu esperanças aos mais necessitados. O mundo reconhece que houve um antes e depois de Luiz Inácio Lula da Silva. A sua contribuição a Paz é bastante concreta para os brasileiros e reforçada por estudos internacionais”, pontuou Esquivel. “Por isso, somos muitos que acreditamos que dar o Nobel da Paz a “Lula” ajudará a fortalecer a esperança de poder seguir a construção de um novo amanhecer para dignificar a árvore da vida”, concluiu.

Confira o abaixo-assinado protocolado por Adolfo Pérez Esquivel na íntegra aqui.

Edição: Vivian Neves Fernandes