EDUCAÇÃO

No interior do estado do Rio, biblioteca comunitária completa 7 anos em área rural

Atualmente a iniciativa conta com um acervo de 6.103 livros e 220 pessoas cadastradas como usuárias

Brasil de Fato | Rio de Janeiro (RJ)

,

Ouça a matéria:

Atividade de contação de histórias na Biblioteca Comunitária Novos Horizontes / (foto: divulgação)

Um projeto social tem transformado a realidade da população do município de São José do Vale do Rio Preto, na Região Serrana do estado do Rio de Janeiro. O Centro Cultural Novos Horizontes (CCNH) há sete anos tem investido na formação de crianças e jovens a partir da leitura e da arte e possibilitado uma nova perspectiva de futuro para a comunidade.

O projeto está sediado numa antiga escola no bairro de Morro Grande, tradicionalmente um reduto de pequenos produtores rurais. A iniciativa começou após Michel Cabral, diretor do CCNH, realizar uma disciplina de Psicologia Comunitária na universidade. Cabral, que é nascido e criado na comunidade, apostou na criação de uma biblioteca comunitária para atender uma demanda dos estudantes locais que não encontravam um espaço para pesquisa e estudo próximo de casa. 

 “A leitura fez muita diferença na minha vida e na minha jornada profissional e pessoal. Eu sabia o quanto isso poderia também fazer diferença para outras pessoas, para as crianças e para os adultos que, a partir do contato com o universo literário, poderiam estar ampliando a sua visão de mundo”, conta o psicólogo.

O projeto já conquistou editais da Fundação da Biblioteca Nacional, Ministério da Cultura e Secretaria de Cultura do Estado do Rio de Janeiro que possibilitaram a compra de livros novos, mobiliário e também atividades regulares como rodas de leitura e oficinas de músicas com educadores. Daniela Branco é dona de casa e mãe de dois filhos. Para ela, a biblioteca é um espaço de formação para além da escola.

“Eu tenho dois filhos, um de 3 anos e outro de 7. Sempre que eu posso eu vou à biblioteca do CCNH e pego livros infantis para ler para meus filhos. O Otávio, de 7 anos, aprendeu a ler no ano passado e o primeiro livro que ele leu sozinho foi da biblioteca. Isso vai ficar marcado na minha memória para sempre”, afirma.

Atualmente a iniciativa conta com um acervo de 6.103 livros e 220 pessoas cadastradas como usuárias. Segundo o diretor da ONG, houve a preocupação da equipe em valorizar a literatura nacional infantil e infanto-juvenil nos livros adquiridos. Ele relata que uma das intenções é ampliar o projeto para além do bairro de Morro Grande e realizar oficinas permanentes, mas que devido à escassez de recursos e a falta de perspectiva dos editais públicos o CCNH tem as suas atividades limitadas.

 “Acreditamos que a partir do momento que conseguirmos recursos, consigamos expandir o projeto no município. Gostaríamos que a biblioteca abrisse todos os dias. Infelizmente no momento ela funciona 4 vezes na semana em meio período. Gostaríamos que ela tivesse aberta com atividades socioculturais e artísticas”, destaca Cabral.

Neste sábado (14), um evento com a participação da comunidade celebrará o sétimo aniversário do projeto e o título de utilidade pública, recém concedido pela Câmara Municipal de São José do Vale do Rio Preto. Durante o encontro ocorrerão oficinas de arte e ecologia, palhaçaria, contação de histórias e atividade cultural com músicos locais.

 

Edição: Raquel Júnia