CURITOWN

Exposição conta a história da cultura do skate em Curitiba

Mostra traz também depoimentos de skatistas curitibanos das décadas de 70 a 2000

Brasil de Fato | Curitiba (PR)

,
Exposição conta com fotos antigas da prática do skate como essa, na Rua Mormons em 1977. / Luiz Hernani Scharf

Skate, fotografia, vídeo, marcas, fábricas, campeonatos, nomes de destaque, pioneiros do skate na capital. Este universo esportivo e cultural será mostrado na exposição "Curitown - a cultura do skate em Curitiba", que fica até dia 20 de agosto no Museu Municipal de Arte de Curitiba – Muma, trazendo para os skatistas e para um público amplo a cultura do skate curitibano, um dos mais tradicionais do Brasil.

Com um expressivo número de praticantes, muito se deve a existência de gerações que preservam a prática ao longo do tempo e dos lugares. Pista do Gaúcho, Ambiental e Drop Dead Skatepark geraram skatistas de qualidade para Curitiba e para fora dela, sendo, nas décadas de 1990 a 2000, considerada a capital do skate do Brasil.

Na exposição os visitantes terão a oportunidade de assistir a um documentário, com o mesmo da exposição, produzido pela Editora Máquina de Escrever, com depoimentos de skatistas pioneiros chegando até os campeões mundiais. E, ainda, o público poderá conferir obras e fotografias de skatistas que desenvolvem trabalho nas artes visuais, mais a diversidade de rodinhas, shapes, revistas, livros, skates antigos, roupas e objetos utilitários que são feitos a partir da reciclagem de componentes do skate.

Ao longo do período da exposição, também ocorrerão sessões de skate com a demonstração de performance de alguns dos skatistas entrevistados e oficinas gratuitas de fotografia e vídeo para skate ministradas pelos skatistas Castro Pizzano, Felipe Oliver Arnoso e Matheus Reinhardt Luz.

Serviço

Exposição – Curitown – a cultura do skate em Curitiba

De 16 de junho a 20 de agosto de 201

Onde – Museu Municipal de Arte de Curitiba | Av. Rep. Argentina, 3.432 - Portão, Curitiba - PR, 80610-260

Visitação: terça a domingo, das 10h às 19h

Entrada Gratuita

Edição: Laís Melo