Vozes da cidade

A canção é minha palavra: Roseane Santos

Cantora veio do Rio para Curitiba, onde faz show com canções inéditas nesta semana

Brasil de Fato | Curitiba (PR)

,
Roseane se consolidou como uma das vozes mais marcantes no cenário musical de Curitiba, participando de inúmeras bandas e orquestras / Elenize Dezgeniski

A cantora Roseane Santos tem uma trajetória pouco comum, começou dando aulas como arte-educadora para crianças no Rio de Janeiro. Depois, passou a cantar no coro da universidade, no qual descobriu a carreira que gostaria de seguir pela vida. E os caminhos a levaram para longe da terra natal e para um estilo que não estava acostumada. 

“Em 2002, vim para uma oficina de música em Curitiba, me apaixonei e ingressei em diferentes grupos musicais, como o Noivas de Alfredo e o Maria Faceira.”  Ela conta que pelo fato de ser negra e carioca acabou parando no samba, “eu me vi tendo que aprender a ter esse lugar, aprender os sambas, e nem era o estilo de música que eu mais dominava. Mas aprendi. E fui conseguindo em outros trabalhos, mais adiante, investir nos sambas que me interessam mais, que são os do Recôncavo Baiano”, diz. 

Agora, no show "Vozes da Cidade" que apresenta nesta quinta-feira (28) em Curitiba, está numa fase de investir em composições próprias. “São canções, algumas inéditas e muitas com composições minhas e outras em parcerias com outros artistas. São canções que têm a ver comigo, pois o repertório sempre é de um desejo do artista em dizer alguma coisa. A canção, para mim, é minha palavra.” 

Neste novo trabalho, Roseane apresenta pela primeira vez canções de sua autoria, além de músicas de artistas parceiros, revelando outras características do seu trabalho. Ao lado do instrumentista André Garcia, o show traz uma artista afiada pelas turbulências do agora sem deixar de estar atenta às sutilezas do mundo. A direção artística é uma parceira da própria cantora com compositor Luciano Faccini, que também participa como convidado em algumas canções. 

Serviço 

Show:
 Roseane Santos 

Data: 28 de junho

Horário: 20 horas

Valor: gratuito, com opção de ingresso solidário (doação de 1 litro de leite ou 1 livro infantil)  

Local: Centro Cultural Sesi Heitor Stockler De França 

Av. Mal. Floriano Peixoto, 458 - Centro 

Edição: Frédi Vasconcelos e Laís Melo