Recife

ONG desenvolve projeto de formação e multiplicação sobre prevenção combinada do HIV

A Gestos está capacitando 15 ativistas através de oficinas semanais

Brasil de Fato | Recife (PE)

,
"o foco da Gestos neste treinamento é capacitar ativistas pertencentes às populações-chave para multiplicar informações entre seus pares" / Divulgação

A Gestos iniciou, neste mês de junho, projeto para formação e multiplicação entre pares sobre prevenção combinada do HIV para gays e outros Homens que fazem sexo com Homens (HSH), travestis e transexuais. Para isso, 15 ativistas estão sendo capacitados através de oficinas semanais com o objetivo de replicarem tais conhecimentos com coletivos de organizações LGBT, conselheiros LGBT e de Saúde, gestores e técnicos de espaços governamentais, visando ampliar as discussões sobre as novas formas de prevenção ao HIV, à sífilis, às hepatites virais e às outras Infecções Sexualmente Transmissíveis.

Segundo dados do Ministério da saúde, as populações de gays e outros HSH, travestis e transexuais estão entre as populações-chave em relação ao HIV. A falta de políticas específicas e a falta de acolhimento qualificado nos serviços de saúde estão contribuindo para o aumento de casos de HIV nestas populações no Brasil. Por isso, o foco da Gestos neste treinamento é capacitar ativistas pertencentes às populações-chave para multiplicar informações entre seus pares. 

“A Prevenção Combinada do HIV é um conjunto de estratégias de uso simultâneo que facilitam o autocuidado e a prevenção tanto do HIV, quanto de outras infecções. Nesses encontros estamos conversando, por exemplo, sobre a importância de usar o preservativo e também informações e dúvidas sobre outros métodos, como a PreP e a PEP. Tem sido muito interessante e rico o debate com o grupo”, explica Jair Brandão, assessor de Projetos Institucionais da Gestos e um dos facilitadores da atividade.



O projeto é financiado pelo Fundo PositHIVo e a expectativa é que os/as 15 ativistas que participam dos encontros alcancem com informações, diretamente, pelo menos cem pessoas e outras mil pessoas de forma indireta.



Além da importância de usar camisinha, de informações sobre a PreP e a PEP, também são abordadas nos encontros questões como a importância de fazer o teste de HIV, informações sobre o tratamento antirretroviral (para as pessoas HIV+), ações de redução de danos e prevenção de outras ISTs, como as hepatites B e C. O grupo também tem acesso a informações sobre as políticas públicas de Aids no Estado de Pernambuco e às técnicas de multiplicação de informações entre pares.

Edição: Monyse Ravena