Eleições

Mais de 30 mil brasileiros acompanharão registro da candidatura Lula em Brasília

De forma inédita, multidão irá até o TSE para garantir a inscrição de um candidato na corrida eleitoral

Read in English | Leer en español | Brasil de Fato | Brasília (DF)

,
Estimativa é da Frente Brasil Popular, articulação de diversas organizações populares e de esquerda / Júlia Dolce

O nome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva será registrado como um dos concorrentes à Presidência da República nas eleições de outubro nesta quarta-feira (15). O protocolo do registro será acompanhado por uma ato popular em frente à sede da TSE (Tribunal Superior Eleitoral).  Pelo menos 30 mil eleitores estarão na manifestação, que deve começar às 14h desta quarta-feira (15).

A estimativa é da Frente Brasil Popular, que o organiza o ato em conjunto com outras manifestações com o objetivo de garantir a candidatura de Lula na disputa eleitoral. 

"Queremos fazer um ato o mais amplo possível, muito popular, com candidatos a governador, a deputado, com as pastorais e, principalmente, queremos levar  as pessoas para acompanhar a candidatura de Lula no TSE", disse João Paulo Rodrigues, integrante da Direção Nacional do MST (Movimento dos Trabalhadores Sem Terra).

O MST organizou uma marcha nacional em três colunas com trabalhadores e militantes  de movimento populares de todas as regiões do país. A marcha caminhou durante cinco dias e chegou na terça-feira (14), em Brasília. 

"Quem marchou os cinco dias nas estradas vai voltar para casa com a sensação real  de dever cumprido e com uma cópia do registra da candidatura de Lula na mão", disse o dirigente do MST.

Além do ato, movimentos populares organizaram a Greve de Fome por Justiça no STF (Supremo Tribunal Federal) contra a condenação e prisão de Lula, entendendo que as decisões são juridicamente infundadas e tem caráter político, servindo apenas para tentar tirá-lo da disputa eleitoral.

"É um processo de mobilização social muito importante para o conjunto da sociedade. Essa luta que está sendo feita não é só agora para as eleições. Ela já vai ser uma demonstração de articulação para quem ganhar o governo. Se o Lula ganhar o governo, será a defesa do governo. Se o Bolsonaro ganhar, é a defesa dos movimentos e a oposição ao governo", disse o dirigente do MST.

O MST estima que ao menos mil ônibus devem chegar à Brasilia para o ato, que se somarão a outros 200 ônibus que trouxeram militantes que já estão acampados na capital federal. "Vai ser a festa da democracia", afirmou Rodrigues.

Jovens

Um dos movimentos populares que estão apoiando o direito de Lula ser candidato é o Levante Popular Juventude, que teve militantes nas três colunas que marcharam até Brasília.

Para o ato do TSE, o Levante preparou diversas atividades para animar a “festa da democracia”

"O Levante vai estar bem animado, trazendo a alegria do povo brasileiro em registrar o Lula para concorrer nessa eleição. Vamos com toda a força e toda a garra que a gente necessita neste momento. A gente vai levar o bloco 'Vem com Lula´, traz a energia do Carnaval, uma festa da cultura popular, que terá perna-de-pau, vai ter confete, vai ter música e vai ter agitação. Queremos dizer que, apesar deste golpe, o povo está firme e forte para colocar Lula como seu candidato, como seu presidente", disse Nátaly Santiago, 27 anos, da coordenação nacional do Levante.

Um dos métodos do Levante é conduzir o debate político dentro de um ambiente de descontração e alegria.

"O povo sabe que não tem prova contra Lula, o povo sabe que não tem crime, então a gente vai construir este grande bloco de Carnaval, com músicas que colocam a questão da política, com intervenções teatrais que falam do Temer, da Cármen Lúcia, de forma engraçada, mas também politizando este processo do golpe e como o povo pode resistir contra essa Liga da Injustiça, que tem o juiz Sergio Moro como o Capitão América", disse a dirigente do Levante.

Os jovens militantes do Levante circularam por diversos lugares em Brasília para convidar os moradores da cidade para participar do ato no TSE. 

A presidenta nacional do Partidos dos Trabalhadores (PT), Glesi Hoffmann, esteve no acampamento dos trabalhadores sem terra no começo da noite desta terça-feira. "Lula é a opção que o povo escolheu. As pesquisas mostram isso. Queremos, todos nós, o Lula Livre, o Lula candidato e, então, o Lula presidente", disse.

Os participantes da Marcha Lula Livre farão a nova caminhada a partir das 14h, do terreno ao lado do estádio Mané Garrincha até a sede do TSE.

 

Edição: Rafael Tatemoto