Eleições 2018

PT realiza último ato de campanha em SP antes de definir candidatura presidencial

Encontro de acadêmicos, intelectuais e estudantes em apoio de Lula aconteceu na PUC-SP

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,
Público do TUCA celebra Lula durante ato na noite desta segunda-feira (10) / Foto: Jornalistas Livres

O Partido dos Trabalhadores realizou, na noite desta segunda-feira (10), em São Paulo, um ato de campanha com intelectuais, acadêmicos e estudantes em apoio a Luiz Inácio Lula da Silva e à candidatura de Luiz Marinho ao governo do estado de São Paulo.

Fernando Haddad, candidato a vice-presidente de Lula e possível substituto do ex-presidente na chapa presidencial, caso o partido cumpra a determinação do Tribunal Superior Eleitoral de trocar o nome do candidato a presidente até terça-feira (11), era esperado no evento, mas, a pedido de Lula, ficou em Curitiba para discutir os próximos passos da campanha petista.

Durante o evento, foi divulgada pesquisa Datafolha que apontou crescimento de 5 pontos percentuais de Haddad como substituto de Lula, e o petista já figura empatado em segundo lugar nas intenções de voto.

Manuela D'Ávila (PCdoB), que será candidata a vice-presidente de Haddad caso ele seja confirmado como novo candidato petista, representou a chapa nacional diante de mais de 600 pessoas que acompanharam o ato no teatro da Pontifícia Universidade Católica, o TUCA. Militantes que não conseguiram entrar no teatro assistiram ao ato do lado de fora, por meio de telões.

"Este é um ato, sobretudo, sobre liberdade, porque nós sabemos que em pouco mais de 20 dias o Brasil traçará seu caminho, e queiramos nós que seja o caminho da liberdade", discursou Manuela, que lamentou a ausência "do maior presidente da história do país" no palco, entre os convidados.

A cadeira vazia de Lula foi ocupada por seu neto, Thiago de Andrade, que também falou aos apoiadores do ex-presidente. "A minha família está sofrendo esse golpe. Minha vó [Marisa Letícia] morreu por causa desse golpe. Só as pessoas que estão lutando nas ruas todos os dias que nos dão esperança", disse.

Luiz Dulci, vice-presidente nacional do PT e ex-ministro-chefe da Secretaria Geral de Lula, destacou que, aconteça o que acontecer, a eleição deste ano é um momento definitivo para o país: "Essa batalha que estamos travando não é só para dizer quem vai governar o país, mas quais serão os valores do país –se serão valores democráticos ou se será essa escalada de violência que estamos vendo hoje”, pontuou.

Participaram ainda do ato o vereador Eduardo Suplicy, candidato do PT ao Senado, os ex-ministros Aloizio Mercadante e José Eduardo Cardozo, Ana Estela Haddad e Ana Bock, candidata a vice-governadora ao lado de Luiz Marinho, além de professores e alunos da PUC-SP.

Edição: Diego Sartorato