Cinema

Documentário mostra ocupação do MST premiada por recuperar Mata Atlântica

O filme será lançado em Curitiba na sexta-feira (14) e também será distribuído fora do Brasil

Brasil de Fato | Curitiba (PR)

,
Comunidade ganhou o prêmio Juliana Santilli, na categoria ampliação e conservação da agrobiodiversidade / Júlia Rhoden

O acampamento José Lutzenberger, em Antonina (PR), ocupa parte da Área de Proteção Ambiental (APA) de Guaraqueçaba, no litoral norte do estado e, desde 2003, concilia a produção de alimentos livres de agrotóxicos com a recuperação da Mata Atlântica.

Por isso, a comunidade ganhou o prêmio Juliana Santilli, na categoria ampliação e conservação da agrobiodiversidade. E essa história de mais de 15 anos é tema do documentário “Agroflorestamento é Mais”, que será lançado em dois espaços em Curitiba. 

Nesta quinta (13), o filme será exibido na reunião do Fórum Estadual de Combate ao Uso de Agrotóxicos e Controle do Tabaco no Paraná no Ministério Público. Já na sexta-feira (14), o documentário será exibido no Centro de Formação e Cultura Marielle Vive, na Vigília Lula Livre, com participação do diretor e roteirista Beto Novaes e integrantes da comunidade.

O filme foi produzido pela Fundação Oswaldo Cruz, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Universidade Federal do Paraná, Associação Paranaense das Vítimas Expostas ao Amianto e Agrotóxicos e Ministério Público do Trabalho do Paraná. 

Ameaça de despejo 

Desde 2012 existe processo de reintegração de posse da propriedade e constante ameaça de despejo das famílias que fizeram do Acampamento José Lutzenberger um exemplo de produção de alimentos saudáveis.

Atualmente, segundo Jonas de Souza, um dos coordenadores do acampamento, o que é produzido ali atende a mais de 70 escolas da região, via Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). Além das escolas, “toda a comunidade e cidade vem se beneficiando com o a proteção da biodiversidade. Antes, a terra era mal cuidada”, afirma Jonas. Em paralelo, o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) está negociando a compra da terra com os antigos proprietários para viabilizar o assentamento das famílias.

Campanha

Entidades apoiadoras sentiram necessidade de dar visibilidade ao que acontece no acampamento para assegurar sua continuidade. Para isso, o documentário integra a campanha “Agrofloresta é Nossa Casa”, que tem como objetivo a luta contra o despejo das famílias. Para participar clique aqui.

Serviço 

Lançamento do documentário “Agroflorestamento é Mais” 

Dia 14 de setembro de 2018 

Local: Centro de Formação e Cultura Marielle Vive. 

Rua Guilherme Matter, 362 

Santa Cândida – Vigília Lula Livre 

Edição: Frédi Vasconcelos