DISPUTA

Tensão na fronteira aumenta com a chegada de opositores venezuelanos à Colômbia

Antes da chegada de Guaidó, programada para este sábado (23), grupos opositores venezuelanos já estão em solo colombiano

Brasil de Fato | San Antonio del Táchira (Venezuela)

,
Caravana de opositores viaja em direção à fronteira para pressionar pela entrada de ajuda humanitária / Foto: Reprodução

Uma caravana de opositores venezuelanos liderados pelo autoproclamado "presidente interino", Juan Guaidó, saiu nessa quinta-feira (21) de Caracas rumo à fronteira com a Colômbia, em um percurso de 900 km. O destino será o estado de Táchira, onde cidades como San Antonio e Ureña fazem divisa com municípios colombianos como o de Cúcuta.

Antes mesmo da chegada de Guaidó, programada para este sábado (23), quando o opositor prometeu uma ofensiva para entrar à força com uma suposta ajuda humanitária enviada por países como os EUA e a própria Colômbia, alguns grupos opositores venezuelanos já estão na Colômbia, conforme o Brasil de Fato pode verificar com fontes oficiais dos dois países.

Entre esses grupos, foram identificados integrantes de uma organização conhecida como Resistência, que assumiu, através de vídeos publicados na internet, a autoria de diversos ações paramilitares na Venezuela entre 2016 e 2017. Uma das operações mais conhecidas foi o assalto ao Forte Paramacay, no estado venezuelano de Carabobo, em agosto de 2017.

A presença dessa organização opositora foi confirmada por agentes de inteligência e militares venezuelanos, em declarações em off à reportagem. A presença de ativistas radicais aumentou a preocupação das autoridades da Venezuela.

O espaço aéreo venezuelano foi fechado por motivos de segurança desde a quinta-feira (21). Contudo, na tarde do mesmo dia, um helicóptero da Força Aérea colombiana foi visto sobrevoando a ponte internacional Las Tienditas. O sobrevoo a pouco metros da divisa deixou alerta os militares venezuelanos. No local, ocorrem os shows musicais na Colômbia organizados pelo empresário e magnata britânico Richard Branson, nesta sexta (22), e o festival pela paz organizado pelo governo de Nicolás Maduro, desta sexta até domingo (24).

Fotógrafo registra momento que helicóptoro colombiano sobre próximo a Venezuela | Foto: Marco Salgado

Colômbia restringe passagem na fronteira

Devido à promessa de entrada de "ajuda humanitária" para o lado venezuelano, o governo da Colômbia anunciou que irá restringir a passagem de pessoas nos pontos migratórios ao longo da divisa com a Venezuela durante o sábado (23).

Segundo o diretor-geral de Migração da Colômbia, Kruger Sarmiento, a medida foi adotada para facilitar "a entrega de ajuda humanitária à Venezuela". Entre os pontos que sofrerão restrições estão a Ponte Internacional Simón Bolívar e a Francisco de Paula Santander. "A ideia é que somente se encontre nesses lugares as pessoas que vão participar da mobilização da ajuda", afirmou o diretor de Migração, em um comunicado divulgado na noite de quinta (21).

Além da tentativa de entrada de "ajuda humanitária" pela fronteira colombiana, iniciativas semelhantes ocorrem na divisa com o Brasil, no estado de Roraima, e pelo mar do Caribe, vindo de ilhas como Curaçao.

Edição: Vivian Fernandes