repercussão

Na segunda entrevista após prisão política, Lula diz que vai pedir progressão de pena

Ex-presidente conversou hoje com jornalista Kennedy Alencar e afirmou que não desistirá de provar inocência

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,

Ouça o áudio:

Na sexta-feira (26), após permissão do STF, Lula havia concedido entrevista aos jornalistas Mônica Bergamo e Florestan Fernandes Júnior / Ricardo Stuckert

Após mais de um ano como preso político, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva concedeu nesta sexta-feira (3) sua segunda entrevista na carceragem da Polícia Federal (PF), Curitiba. O jornalista Kennedy Alencar conseguiu autorização judicial para realizar a entrevista, que deve ser publicada pela BBC Brasil, Rede TV!rádio CBN. Na última semana, o ex-presidente havia sido entrevistado por Mônica Bergamo e Florestan Fernandes Júnior, da Folha de S. Paulo El Pais, respectivamente.

De acordo com Kennedy Alencar, por meio do Twitter, Lula teria dito que pretende pedir progressão de regime para deixar prisão fechada e que teria uma reunião nesta sexta (3) com seus advogados para tratar do tema. O ex-mandatário, preso desde 7 de abril de 2018 acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do triplex do Guarujá, deixou claro, porém, que não desistirá de provar sua inocência e que pedir progressão de pena não representa admissão de culpa.

"Eu quero ir pra casa. Agora, se eu tiver que abrir mão de continuar a briga pela minha defesa, eu não tenho nenhum problema de ficar aqui", declarou o ex-presidente, de acordo com breve trecho da conversa publicado por Kennedy Alencar em seu blogue pessoal. A entrevista completa vai ao ar no sábado (4), às 19h25, no telejornal da RedeTV!.

Edição: Rodrigo Chagas