prisão

José Dirceu ainda não se entregou à PF em Curitiba

Ex-ministro tinha prazo até as 16h desta sexta (17) e informou que está se deslocando até o local

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,

Ouça o áudio:

O ex-ministro tem 72 anos e buscava na Justiça a prescrição dos crimes por conta da idade avançada. / Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Após ter a prisão determinada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), o ex-ministro da casa civil José Dirceu pediu, através de sua defesa, para se entregar voluntariamente à Polícia Federal (PF), em Curitiba, onde cumpre prisão política o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O prazo estipulado para a entrega foi 16h desta sexta (17). Dirceu, entretanto, informou que está se deslocando de carro de Brasília, onde mora, até Curitiba, e que deverá se apresentar à PF até as 20h30.

A detenção foi ordenada após o esgotamento dos recursos de segunda instância da condenação de Dirceu. O então juiz Sérgio Moro – atual ministro da Justiça do governo Bolsonaro (PSL) – condenou, em março de 2017, o ex-ministro por ter supostamente recebido R$ 2,1 milhões em propina proveniente de contratos na Petrobras. A pena está fixada em 8 anos e 10 meses pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.

A defesa ainda poderá tentar recursos em outras instâncias, como no Superior Tribunal de Justiça (STJ) e no Supremo Tribunal Federal (STF). Além disso, mesmo que a pena seja executada, ainda restaria um último recurso, que são embargos dos embargos no mesmo TRF4.

O ex-ministro tem 72 anos e buscava na Justiça a prescrição dos crimes por conta da idade avançada. Esta é a segunda condenação de Dirceu na Lava Jato. Ele chegou a ser preso, em 2018, mas conseguiu um habeas corpus no Supremo Tribunal Federal.

Edição: Rodrigo Chagas