América latina

Internacionalistas lançam campanha pelo fim do bloqueio econômico contra a Venezuela

Um ato foi realizado em Caracas e a hashtag #TrumpDesbloqueaVenezuela já está mobilizando as redes sociais

Brasil de Fato | São Paulo

,

Ouça o áudio:

A ação contou com a presença da Ministra do Poder Popular para as Comunas, Blanca Eekhout / Créditos: Brigada Congresso do Povo

Na tarde desta quarta-feira (17), militantes da brigada internacionalista do Congresso do Povo Las Comunas, realizada em Caracas, capital da Venezuela, realizaram um ato de lançamento de uma campanha pelo fim do bloqueio econômico aplicado pelos Estados Unidos contra o país. A mobilização também ocorre nas redes sociais com as hashtags #TrumpDesbloqueaVenezuela e #TrumpUnblockVenezuela. 

::Como o bloqueio imposto pelos Estados Unidos afeta a vida dos venezuelanos

Os 28 militantes brasileiros da brigada lançaram a campanha demarcando o final do período de um mês que permaneceram na Venezuela conhecendo experiências de poder popular, como é o caso das comunas.

::Leia também: Como é a vida em uma comuna na Grande Caracas?Como é a vida em uma comuna na Grande Caracas?

O ato teve como objetivo denunciar o bloqueio econômico que está impedindo a importação de alimentos, medicamentos, peças de reposição de máquinas, produtos químicos necessários ao tratamento de água, refino de petróleo, etc.

Para Erick Lozano, militante do Movimento Digital Venezuelano Conecta e membro da Juventude Partido Socialista União da Venezuela, o bloqueio atenta contra a soberania e independência de seu país. "Esse bloqueio não trata de bloquear o governo revolucionário bolivariano, e sim a economia do país, remédios, alimentos, educação. Atenta contra todos os trabalhadores, nós seguiremos lutando, avançando e resistindo por nossa revolução", argumenta.

A ação contou também com a presença da ministra do Poder Popular para as Comunas, Blanca Eekhout, que falou sobre o processo da revolução e o papel das mulheres na concretização do poder popular nas comunas venezuelana.

Eekhout agradeceu o apoio dos povos latino-americanos à luta da Venezuela. "O império pretende impor a partir dessa guerra criminosa contra nossa nação um bloqueio que impeça o acesso aos alimentos, aos medicamentos. É também um roubo constante dos bens da república que estão no exterior, como foi o caso do despojo da CITGO", explicou.

Por fim, a ministra enfatizou a importância de denunciar o bloqueio e da união dos povos contra o imperialismo. "A luta da Venezuela é a luta de todos os povos para não ser nunca mais colônia imperial de ninguém", concluiu.

O ato de lançamento da campanha ocorreu também em outros estados do Brasil como São Paulo, Roraima, Pernambuco, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Norte, Acre, Minas Gerais, dentre outros.

Edição: Rodrigo Chagas