Perseguição

Primeira delatora da Lava Jato diz que havia prêmio para quem entregasse Lula

Presa pela operação em 2014, a doleira afirma que existiu pressão para citar o ex-presidente

Condenado na Lava Jato, Lula foi preso em 2018 / Agência Brasil

Em entrevista à Rádio Bandeirantes nesta quarta-feira (7), a doleira Nelma Kodama, presa pela operação Lava Jato em 2014, disse que presos na relatavam pressão para citar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. 

“O Lula era o assunto. Eu não sou PT, não estou falando sobre política e sim sobre crime. Todo crime precisa ter prova e não houve prova. Cadê o cadáver? Então, qual foi o objetivo? (da prisão)”, afirmou Kodama, que foi a primeira presa da Lava Jato, em 2014. 

Em 2014, ela foi condenada a 18 anos por corrupção, evasão de divisas e lavagem de dinheiro. Depois de um acordo de delação premiada, cumpriu apenas 3 anos e teve direito ao benefício. Beneficiada por um indulto concedido no final de 2017 pelo ex-presidente Michel Temer, Nelma Kodama teve a pena extinta.

Ela ainda confirmou que existiu uma delação premiada para entregar o principal alvo da Lava Jato, no caso o ex-presidente da República. “Havia esse tipo de conversa, claro, por parte das pessoas que queriam sair [da prisão]”.

Edição: Brasil 247