DEBATE

Evento '60 anos da Revolução Cubana' traz Cônsul de Cuba a Porto Alegre

Em pauta as transformações atuais, o bloqueio dos EUA, a saúde cubana e a desconstrução do Mais Médicos no Brasil

Brasil de Fato | Porto Alegre (RS)

,

Ouça o áudio:

Debate ocorre no dia 2 de setembro, na Faculdade de Farmácia da UFRGS / Divulgação

Um debate sobre a Revolução Cubana, que neste ano chega ao 60º aniversário, será realizado em Porto Alegre nesta segunda-feira (2). Com a presença do Cônsul Geral de Cuba, Pedro Monzón, o evento vai discutir as transformações atuais e o bloqueio estadunidense, bem como a excelência da saúde cubana e sua ação internacionalista e a descontrução do Programa Mais Médicos no Brasil. A atividade acontece no anfiteatro Álvaro Leal, da Faculdade de Farmácia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Av. Ipiranga, 2752), a partir das 18h30, com entrada gratuita.

Compartilham a mesa de debates com o embaixador o Dr. João Marcelo Goulart, coordenador do Programa mais Médicos no Amazonas, que vai falar sobre a excelência da saúde em Cuba e sua ação internacional, e o Dr. Alcides de Miranda, médico e professor da UFRGS, que vai tratar da desconstrução do Programa Mais Médicos no Brasil. O debate será coordenado por Marajuara Azambuja, presidente da Associação Cultural José Marti/RS (ACMJ).

A atividade é promovida pela ACMJ e por uma série de organizações: Fundação Maurício Grabois (FMG), Fundação Perseu Abramo (FPA), Fundação João Mangabeira (FJM), Fundação Lauro Campos (FLC), Fundação Dinarco Reis (FRD), Instituto Novos Paradigmas (INP), UPS, Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta Pela Paz (Cebrapaz), ADUFRGS-Sindical, Assufrgs Sindicato, União Nacional dos Estudantes (UNE), União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES), União Estadual dos Estudantes (UEE), Confederação Nacional de Associações de Moradores (Conam), Sociedade de Economia (Sosecon) e Sindicato dos Economistas (Sindecon).

A Revolução

Há 60 anos, o Exército Rebelde cercava a cidade de Santiago de Cuba, na última batalha liderada pelo comandante Fidel Castro, no final de dezembro de 1958. Ao amanhecer do dia 1º de janeiro de 1959, o ditador Fulgencio Batista abandonava a ilha. No dia 8 de janeiro de 1959, mais de mil combatentes rebeldes fizeram uma entrada triunfal em Havana, em cima de tanques e carros blindados do exército de Batista. Com a destituição do ditador alinhado aos Estados Unidos, consolidava-se assim a Revolução Cubana.

Confira o especial produzido pelo Brasil de Fato sobre os 60 anos da Revolução Cubana.

Edição: Marcelo Ferreira