Pesquisa

Mau desempenho na saúde ajuda a derrubar popularidade de Bolsonaro

Área, que tem sofrido retrocessos no atual governo, é apontada em pesquisa como principal problema do país

Ouça o áudio:

Durante anúncio do Médicos pelo Brasil, em agosto, presidente criticou o Mais Médicos, que chegou a atender cerca de 60 milhões de pessoas. / Foto: Marcos Corrêa/AFP

O aumento progressivo da rejeição ao presidente Jair Bolsonaro (PSL), que em um mês saltou de 33% para 38%, segundo a pesquisa Datafolha divulgada na última segunda (2), tem como uma das principais causas o descontentamento com a gestão da saúde.

A área é citada como o principal problema do país por 18% dos entrevistados nos oito primeiros meses de governo. Em seguida aparecem educação e desemprego, com 15% cada. Segurança pública, área comandada pelo ex-juiz da Lava Jato, Sergio Moro, foi mencionada por 11%.

Em julho, a pesquisa indicava questões relacionadas à violência como o maior problema brasileiro por 19% dos entrevistados.

O retorno de doenças, as baixas coberturas vacinais, as dificuldades de acesso a tratamentos, o desabastecimento de medicamentos, o corte de verbas em pesquisas, a falta de profissionais médicos em regiões distantes e nas periferias dos grandes centros urbanos, com o fim do Mais Médicos, possivelmente são alguns dos problemas que contribuem para a insatisfação.

O Datafolha ouviu 2.878 pessoas com mais de 16 anos em 175 municípios, nos dias 29 e 30 de agosto. A margem de erro é de 2 pontos percentuais.

Edição: João Paulo Soares