REFORMA AGRÁRIA

Artistas e amigos do MST marcam presença em ato de um ano do Armazém do Campo RJ

No atual contexto político, o espaço se sobressai como um dos refúgios do campo progressista na cidade

Brasil de Fato | Rio de Janeiro (RJ)

,

Ouça o áudio:

Trabalhadores do Armazém do Campo são homenageados em ato político cultural na Lapa / Jaqueline Deister

Um ato político na tarde deste sábado (14) marcou a comemoração de um ano do Armazém do Campo no Rio de Janeiro. O evento contou com a participação de lideranças do setor popular, artistas e amigos do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) que lotaram o espaço cultural de formação Marielle Franco localizado dentro do estabelecimento comercial, localizado no bairro da Lapa.

Entre os presentes estavam as atrizes Pally Siqueira e Cristina Pereira; o ator Chico Diaz; a militante e esposa de Luís Carlos Prestes, Maria Prestes; Marinete Silva, mãe da vereadora assassinada Marielle Franco e também o ex-senador pelo Partido dos Trabalhadores (PT), Lindberg Farias.

A atriz Cristina Pereira contou que a sua relação com o MST vem de longa data e se emocionou ao relatar um dos momentos mais marcantes junto ao movimento, em 1996, quando visitou o acampamento do MST no município de Eldorado dos Carajás, no sul do Pará, dias antes do massacre promovido pela Polícia Militar do estado que tirou a vida de 19 trabalhadores rurais sem terra.

"Eu entrei nesse acampamento junto com Padre Ricardo [Rezende] e nós conversamos com os assentados, com as pessoas que estavam naquele acampamento, estava tendo uma reunião muito importante na hora relacionada à cultura. Tivemos uma conversa muito interessante com jovens que eram do grupo de teatro do MST e nós tínhamos uma casa de cultura aqui no Rio chamada Casa da Gávea, fiz uma série de conversas com eles sobre textos de teatro e a minha grande tristeza foi porque, dias depois, houve o massacre de Eldorado dos Carajás. Eles morreram. Essas pessoas com quem eu tinha estabelecido um vínculo morreram, foram assassinadas. Nessa  época eu escrevi um artigo para um jornal, única vez da minha vida que eu escrevi um artigo para o jornal, porque eu não sou escritora e nem tenho o dom da palavra e se chamava ‘Bem aventurado os que tem fome e sede de justiça’", detalha a atriz que comemorou o aniversário de 70 anos no Armazém do Campo.

A aproximação da luta em defesa da reforma agrária com a população da cidade é uma das principais vitórias trazidas pelo Armazém do Campo na avaliação de João Paulo Rodrigues, da coordenação nacional do MST. Para ele, no atual contexto político o espaço se sobressai como um dos refúgios do campo progressista do país.

“O Armazém do Campo é o local que você demonstra o que está sendo produzido nos assentamentos. A importância maior nesse momento é que o Armazém ajuda a fazer o debate com a sociedade sobre o modelo de agricultura e o que está em jogo do ponto de vista político sobre o agronegócio versus agricultura familiar; a importância dos alimentos saudáveis versus agrotóxicos. O Armazém tem se consolidado como um refúgio do campo progressista que vai lá para comemorar, celebrar e, ao mesmo tempo, se preparar para as batalhas que vem pela frente. Portanto, o Armazém é uma vitória. Ter um espaço como esse organizado por camponeses no centro do Rio de Janeiro é sem dúvida nenhuma uma grande contribuição para a sociedade”, destaca Rodrigues

As atividades do aniversário de um ano do espaço de comercialização de produtos da reforma agrária no Rio vão até domingo (15) com apresentação de grupos de cultura popular. A programação completa pode ser obtida na página Armazém do Campo RJ.

Alimentação saudável

A proposta do Armazém do Campo é comercializar diariamente os produtos e aproximar a população do debate sobre alimentação saudável. São mais de 450 produtos orgânicos e agroecológicos, vindos de assentamentos da reforma agrária, empresas parceiras e pequenos agricultores. O espaço tem conquistado o público carioca não só pela qualidade dos produtos mas também por ter se tornado um importante ponto de encontro da cultura e da resistência política na cidade do Rio. A loja promove debates, lançamento de livros e apresentações culturais em um espaço acolhedor. O Armazém do Campo RJ está localizado na Avenida Mém de Sá, 135, na Lapa, no centro do Rio de Janeiro. 

Edição: Vivian Virissimo