MST

Feira da Reforma Agrária acontece sábado (12), no Centro Frei Humberto, em Fortaleza

Este mês o tema da feira é "Brincar, sorrir, lutar por Reforma Agrária Popular"

Brasil de Fato | Fortaleza (CE)

,

Ouça o áudio:

A feira conta com produtos agroecológicos vindos de acampamentos e assentamentos da Reforma Agrária vendidos pelos seus produtores / Divulgação: MST

Dia 12 de outubro acontecerá a 39° edição da Feira Cultural da Reforma Agrária em Fortaleza. Organizada pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) a feira acontece todo segundo sábado de cada mês. Na ocasião da comemoração ao dia das crianças, a feira traz o tema "Brincar, sorrir, lutar por Reforma Agrária Popular", e está com a programação dedicada as crianças, em especial, aos Sem Terrinhas. A abertura da feira acontece às 9 horas da manhã, no Centro Frei Humberto.

A partir das 10h haverá um debate com tema "Sem Terrinha em movimento: Brincar, sorrir, lutar por Reforma Agrária Popular", e terá como debatedores A dirigente do MST Andreia Castro, a Sem Terrinha Maria Julia, Renan Santos representando o Centro de Defesa da Criança e do Adolescente (Cedeca) e da autora do livro "Infancia Refugiada" Karine Garcez.

Após o debate, a programação segue pelo o almoço com comidas típicas e com a música ao vivo dos artistas Calé Alencar, Carolina Rebouças e Roni e os Sem Terrinhas Luan e Caic. A tarde ainda haverá contação de história com o grupo "Os trambicantes contadores de história" e a peça teatral "O dia em que a caatinga enrolou o sol”.

A feira conta com produtos agroecológicos vindos de acampamentos e assentamentos da Reforma Agrária vendidos diretamente pelos seus produtores, como hortaliças, frutas, queijos e ovos caipira. Ainda terá bancas de livros da editora Expressão Popular e do Plebeu Gabinete de Leitura, além de peças artesanato.

Serviço

9h Abertura da Feira

10h Momento debate

12h Almoço com atividades culturais

O Centro de Formação Capacitação e Pesquisa Frei Humberto fica localizado na Rua Paulo Firmeza, 445, Bairro São João do Tauape.

Edição: Monyse Ravena