Acusação

MP: Flávio Bolsonaro "lavou dinheiro" em compra de imóveis no valor de R$ 638,4 mil

Filho do presidente declarou lucro de 292% com a venda dos imóveis, mas a valorização na época foi de 11%

Brasil de Fato | São Paulo (SP) |
Flávio Bolsonaro é suspeito de lavagem de dinheiro
Flávio Bolsonaro é suspeito de lavagem de dinheiro - Tânia Rêgo/Agência Brasil

Um relatório do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ), divulgado nesta quinta-feira (19), acusa o senador Flávio Bolsonaro de lavagem de dinheiro na compra de imóveis. O filho do presidente Jair Bolsonaro teria depositado R$ 638,4 mil em dinheiro vivo na conta de um corretor em 27 de novembro de 2012. O valor seria referente à compra de dois apartamentos em Copacabana, na Zona Sul do Rio. Flavio Bolsonaro declarou um lucro de 292% na venda dos apartamentos, dois anos depois, enquanto a valorização imobiliária no período foi de 11%.

:: Leia também: MP faz mandado de busca e apreensão em endereços de Queiroz e parentes de Bolsonaro ::

A acusação do MP é que o senador teria declarado um preço menor do que o imóvel valia no momento da compra. O procurador, o estadunidense Glenn Dillard, teria recebido "por fora" valores não declarados nas escrituras.

Outra acusação

Continua após publicidade

Investigações do Grupo de Atuação Especializada no Combate à Corrupção (GAECC) do MP-RJ mostram que, em outro caso, um policial militar do Rio de Janeiro pagou uma prestação de compra de um apartamento de Flávio Bolsonaro.

O PM Diego Sodré de Castro Ambrósio teria quitado um boleto no valor de R$ 16, 5 mil, emitido no nome da esposa do senador, Fernanda, em outubro de 2016. O pagamento serviria para pagar um apartamento comprado em Laranjeiras, bairro da Zona Sul do Rio de Janeiro.

As duas acusações fazem parte do pedido de busca e apreensão realizado na quarta-feira (18) contra 24 alvos, dentre os quais Fabricio Queiroz e Ana Cristina Siqueira Valle, ex-exposa de Jair Bolsonaro.

Edição: Daniel Giovanaz