Desastre externo

No primeiro ano, governo Bolsonaro queima 10 bi de dólares em reservas internacionais

Recorde de saída de dólares e queda no comércio mostram desastre nas contas brasileiras

Curitiba

,
Saída de dólares recorde, queda nas exportações e nos investimentos. Política econômica de Bolsonaro/Guedes piora situação brasileira / Antonio Cruz_Agência Brasil

Os números finais ainda não foram publicados, mas 2019 revela um verdadeiro desastre no setor externo para o Brasil. Dados oficiais na página do Banco Central mostram que no primeiro ano de Bolsonaro, o país queimou, até novembro, mais de 10 bilhões de dólares em reservas internacionais. Eram 376,9 bilhões em janeiro, chegando a 366,3 bi no penúltimo mês de 2019.

E os dados devem ser piores ainda no fechamento do ano, porque até 27 de dezembro o Brasil teve saída recorde de dólares. Só no mês, mais de 16 bilhões foram embora, a maior saída entre todos os meses já pesquisados. 

No acumulado do ano, até a mesma data, foram embora 43,2 bilhões de dólares, de longe o pior resultado da série histórica. Antes, o recorde eram 16,1 bilhões registrados em 1999, no governo FHC, no ano da crise cambial, no começo de seu segundo mandato. E o governo Bolsondaro está queimando reservas para fechar as contas externas e também para segurar o valor do dólar no Brasil.

Investidores fogem de Bolsonaro – A balança comercial brasileira fechou 2019 com queda de 20,5% no superávit comercial em relação a 2018, o pior número desde 2015. E entre janeiro e outubro de 2019, 42,9 bilhões de dólares foram embora do sistema financeiro brasileiro. Os investimentos diretos no país também caíram. Nos doze meses até novembro de 2019, ingressaram 70 bilhões de dólares, 8,4% a menos que no mesmo período de 2018.

 

Edição: Redação