Cultura

Artistas reivindicam ao governo a recriação da Secretaria de Cultura do Paraná

Uma carta com 18 pontos foi entregue em uma reunião com a presença de representantes das diferentes áreas culturais

Paraná |
Reunião com artistas e o vice governador do Paraná. - Ana Caldas

“Apesar de possuirmos uma herança cultural sólida, consolidada no mercado de produção cultural do país, necessitamos maior comprometimento através de política públicas de cultura que visem, dentro da realidade orçamentária, social e cidadã do Estado – a autonomia da cultura em nosso Estado,” diz a carta assinada por mais de 500 artistas e gestores culturais reivindicando a recriação da Secretaria de Cultura do Estado do Paraná. O documento foi entregue, nesta quarta (11) em uma reunião entre artistas e o vice-governador do Paraná, Darci Piana. 

Neste ano a Secretaria de Cultura completaria 40 anos de existência, não fosse a extinção dela no inicio da gestão do governador Ratinho Junior.  Inicialmente, a cultura foi acoplada à Secretaria de Comunicação Social. Agora, em 2020, ela muda de lugar novamente, passando a ser atendida na Secretaria de Educação. 

Caio Cesário, secretário de Cultura da cidade de Londrina, presente na reunião, disse que a cultura é ampla e precisa ser tratada como única. “A cultura tem a face simbólica, social e econômica. Quando ela é acoplada em outra secretaria, sempre ficará faltando uma parte a ser atendida,” disse.

Para ele, a incompreensão da área acontece em nível nacional também. “Em nível nacional, atualmente ela está junto ao  Ministério de Cidadania,  o que mostra a desvalorização e falta de compreensão do que é a área da cultura.”

Artistas representantes de Curitiba, da Região Metropolitana e do interior estiveram presentes na reunião e a grande maioria das falas destacou a importância da cultura como investimento, geradora de empregos e estratégica para o desenvolvimento econômico.

“A fusão das duas áreas já mostrou que não trouxe bons resultados. É preciso tratar a especificidade da cultura e olhar ela como parte da economia do Estado,” disse o ator e dramaturgo Adriano Esturilho.

Representante da Associação Profissional dos Artistas Plásticos do Paraná (APAP), Waltraud Sekula, mencionou o quanto a cultura no mundo é tratada de forma estratégica.

“A cultura no Brasil é mal interpretada. É a que menos recebe recurso e sempre menosprezada. Em outros países ela tem status de importância porque é parceria da economia", afirmou. Waltraud lembrou que a cultura no Paraná é uma das áreas que mais gera empregos.

Coordenador do Fórum de Cultura de Curitiba e a Região Metropolitana, o secretário de Cultura de Quitandinha, Fernando Cordeiro, também mencionou a importância de se ter uma Secretaria para que os municípios possam desenvolver suas políticas voltadas à cultura.

“Atualmente a estrutura do Estado para cultura tem apenas 23 funcionários para atender 399 municípios. Além disso, sem a regulamentação de um Sistema Estadual de Cultura, não temos como prosperar na cultura municipal", afirma Cordeiro. Atualmente está em tramitação na Assembleia Legislativa do Paraná a regulamentação do Sistema Estadual de Cultura.

O vice-governador informou aos presentes que uma conversa preliminar foi feita com o governador Ratinho Junior e que, nos próximos dias, uma resposta será dada a classe artística. Outros assuntos também foram mencionados nas falas, como o aumento da dotação orçamentária e a efetivação do Plano Estadual de Cultura.

Fonte: BdF Paraná

Edição: Pedro Carrano e Leandro Melito