Protesto

Times pernambucanos de futebol se posicionam contra racismo

Quatro agremiações do estado usaram as redes sociais para se posicionarem em defesa da população negra

Brasil de Fato | Recife (PE) |
Em sua publicação, o Santa Cruz relembrou Lacraia (em destaque na foto), um dos jogadores e fundadores mais importantes do clube - Reprodução

No último dia 25 de maio, mais um caso de violência policial e racismo ganhou repercussão nos Estados Unidos. As cenas do policial branco Derek Chauvin pressionando o joelho sobre o pescoço do trabalhador da segurança George Floyd, negro, até matá-lo por asfixia, rodaram o mundo e levaram a manifestações quase diárias em mais de 70 cidades nos país norte-americano. Mais uma vez, a campanha “Vidas Negras Importam” (“Black Lives Matter”) ganhou as redes sociais, também no Brasil, e quatro clubes de futebol de Pernambuco não se furtaram de tomar posição sobre o tema.

No Instagram e no Twitter, a diretoria dos times pernambucanos Santa Cruz, Náutico, Sport e Salgueiro demonstraram apoio ao movimento antirracista de caráter nacional e internacional. Tais manifestações se coadunam com os protestos antirracistas e antifascistas realizados por torcidas organizadas no último fim de semana em cidades como São Paulo e Porto Alegre.

:: Domingo de manifestações antifascistas em Porto Alegre e outras capitais brasileiras ::
 


O Santa Cruz utilizou sua conta no Instagram para emitir posicionamento / Reprodução/Instagram


O primeiro a tomar posição foi o Santa Cruz. O clube tem sua história marcada pela inclusão racial, visto que foi o primeiro clube da capital pernambucana a aceitar entre os atletas um negro – o volante Teófilo Batista de Carvalho, o “Lacraia”, que foi também um dos fundadores do clube, além de diretor, capitão, técnico e o responsável por desenhar o primeiro brasão do clube. O Tricolor do Arruda acolheu futebolistas negros que não eram aceitos no Náutico, Sport ou América. Em seu perfil no Instagram, o clube coral publicou a imagem acima e uma mensagem em que menciona ainda o zagueiro Sebastião “da Virada”, o meia Henágio e o atacante Grafite. “Lutaremos sempre contra o racismo. O Santa é de todos!”, manifestou.

 


O Náutico utilizou seu perfil no Twitter para se posicionar contra o racismo / Reprodução/Twitter


Já o Náutico usou seu perfil no Twitter para se posicionar. O clube da Rosa e Silva mencionou seus primeiros anos de futebol, no início dos anos 1900, quando ficou conhecido como “Clube de Brancos” por não aceitar negros e mestiços vestindo as cores alvirrubras. “Quando o assunto é racismo, a nossa própria história nos mostra a importância de evoluir. Estamos em evolução. Não existe mais espaço, na vida e no futebol, para quem pensa que a raça define quem o outro é. Não é favor, é obrigação. O racismo mata. Denuncie!”, publicou o Timbu, mencionando ainda ídolos negros na história do clube, como os goleiros Nílson e Lula Monstrinho, além do atacante Jorge Mendonça.
 


Sport faz postagem contra o racismo / Reprodução/Instagram


O Sport, que também levou anos até aceitar negros no seu elenco, tem como torcedora ilustre e sócia benemérita uma mulher negra e empregada doméstica aposentada, Dona Maria José, hoje com 95 anos. E foi com uma imagem das mãos dela que o Leão da Ilha se posicionou sobre o tema, no seu perfil do Instagram. A foto foi acompanhada da mensagem: “Ser contra o racismo sempre será uma pauta do Sport. Uma luta diária sem espaço para omissão. São vidas que fazem parte da nossa história, nossa glória e grandeza”. No Sertão pernambucano, o Salgueiro publicou, também no Instagram, uma imagem e a seguinte frase: “Tire seu racismo do caminho, que eu quero passar com a minha cor”.
 


Salgueiro emite posicionamento nas redes sociais / Reprodução/Instagram

 

Fonte: BdF Pernambuco

Edição: Marcos Barbosa e Camila Maciel