No rádio

Bem Viver: cooperativas e pequenos produtores ganham financiamento popular especial

Finapop arrecada recursos de pequenos e médios investidores e direciona o dinheiro para as atividades das cooperativas

Ouça o áudio:

Modelo inédito vai beneficiar, principalmente, produtores do nordeste. - Foto: Cedac

Em meio a tantos desafios que a pandemia tem proporcionado para a sociedade, o programa Bem Viver desta terça-feira (30) começa com notícia boa: foi lançado ontem (29) o Finapop, um fundo que arrecada recursos de pequenos e médios investidores e direciona o dinheiro para as atividades das cooperativas envolvidas, estimulando a cadeia produtiva do segmento. Em um modelo de financiamento popular, com taxas de juros menores do que aquelas aplicadas por bancos públicos e privados, famílias de pequenos produtores e cooperativas como a da agricultora Sheila Rodrigues poderá ser beneficiada para continuar produzindo. “É acesso à dignidade das pessoas. Não é só dinheiro, existe uma valorização do trabalho, das pessoas, da terra. Existe muita vida por trás”, disse. A produção da cooperativa dela, e de tantas outras pequenas e pequenos produtores pelo Brasil é fruto da reforma agrária, que faz da destinação da terra.

:: Perto de 60 mil mortes, Brasil tem mais de 10% dos óbitos por covid do mundo

Os entregadores de aplicativos organizam uma paralisação nacional marcada para dia 1 de junho, para reivindicar melhores condições de trabalho. Com o aumento de entregas por delivery, eles passaram a trabalhar por mais horas em condições precárias e com o agravante do risco de contaminação pelo coronavírus. Os entregadores pedem apoio da população evitando fazer pedidos nos aplicativos de comida no dia da paralisação e fazendo mutirão para avaliar esses app’s negativamente. Na edição do programa você confere a reportagem da Lú Sudré com o entregador e um dos organizadores do movimento da paralisação, conhecido como Mineiro: “Nem todos os dias a gente tem o que comer, então pedimos um auxílio lanche, como uma das reivindicações. Tem vezes que a gente deixa de comer para abastecer”.

Um estudo realizado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública aponta que um jovem preto, a partir dos 15 anos, tem quase três vezes mais chance de ser assassinado do que um jovem branco. E essa exposição constante ao risco da violência e da morte deixa sequelas, nem sempre aparentes, mas doloridas para quem as carrega. As repórteres Nara Lacerda e Marina Duarte de Souza produziram uma reportagem especial com dados e experiências sobre essa realidade em nosso país, que escancaram a falha do estado em proteger as nossas crianças e jovens pretos. 

No quadro Mosaico Cultural vamos conhecer melhor o ofício dos pescadores e pescadoras. Os povos das águas tem tradições como a de confeccionar os seus próprios instrumentos de trabalho e representam a diversidade cultural do nosso país.

 


Produção da Rádio Brasil de Fato vai ao ar de segunda a sexta-feira / Brasil de Fato / Bem Viver. 

 

Sintonize 

O programa Bem Viver vai ao ar de segunda a sexta-feira, das 11h às 12h, com reprise aos domingos, às 10h, na Rádio Brasil Atual. A sintonia é 98,9 FM na Grande São Paulo e 93,3 FM na Baixada Santista.

Em diferentes horários, de segunda a sexta-feira, o programa é transmitido na Rádio Super de Sorocaba (SP); Rádio Interativa, de Senador Alexandre Costa (MA); Rádio Comunitária Malhada do Jatobá, de São João do Piauí (PI); Rádio Terra Livre (MST), de Abelardo Luz (SC); Rádio Timbira, de São Luís (MA); Rádio Terra Livre de Hulha Negra (RN), Rádio Camponesa, em Itapeva (SP), Rádio Onda FM, de Novo Cruzeiro (MG) e Rádio Pife, de Brasília (DF).

A programação também fica disponível na Rádio Brasil de Fato, das 11h às 12h, de segunda a sexta-feira, e nos aplicativos Spotify e Google Podcasts

Assim como os demais conteúdos, o Brasil de Fato disponibiliza o programa Bem Viver de forma gratuita para rádios comunitárias, rádios-poste e outras emissoras que manifestarem interesse em veicular o conteúdo. Para fazer parte da nossa lista de distribuição, entre em contato pelo e-mail: [email protected]

 

Edição: Camila Salmazio