AVANÇO

Programa Bem Viver aborda evolução da experiência médica no combate à covid-19

Taxa de letalidade por coronavírus no Brasil hoje é de 3,1%; índice já esteve próximo de 7% no início da pandemia

Ouça o áudio:

Tratamento de pacientes com coronavírus mudou conforme conhecimento adquirido pela comunidade médica - Foto: Altemar Alcantara/Semcom
“Os estudos feitos ao longo da epidemia ajudaram bastante na construção desse conhecimento"

O programa Bem Viver desta terça-feira (15) destaca a evolução de experiência médica no combate ao coronavírus. Conforme se expandiu o conhecimento dos profissionais de saúde acerca do funcionamento do vírus, foram adotadas mudanças no método de tratamento tanto para pacientes leves como para casos mais graves da doença. No Brasil, a taxa de letalidade que já esteve próximo de 7%, hoje é de 3,1%.

:: Reitor da federal de Pelotas crê que universidades vão sair mais fortes da pandemia ::

Outro destaque do programa foi a iniciativa da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) de testar a eficácia da vacina BCG, que previne a tuberculose, contra a covid-19. A vacina BCG faz parte do calendário brasileiro de vacinação. Segundo a instituição, a testagem deve começar em outubro, com três mil profissionais de saúde no Mato Grosso do Sul e do Rio de Janeiro. O estudo é desenvolvido em parceria com o Instituto de Pesquisa Infantil Murdoch da Austrália.

:: Ex-ministro da Saúde, Padilha pede investigação sobre queda histórica de vacinação ::

O programa também falou sobre a cobertura vacinal brasileira que apresenta números abaixo do esperado. Faltando menos de 4 meses para acabar o ano, o estado do Rio de Janeiro ainda não atingiu 50% da cobertura de vacinas oferecidas no calendário de imunização da criança e do adolescente. Os dados preocupam autoridades de saúde, pois representam o risco da volta de doenças consideradas erradicadas na população. 

:: Letalidade por covid-19 permanece em alta no estado do Rio, alerta Fiocruz ::

Também foi destaque a situação de superlotação em unidades socioeducativas no Brasil. No Espírito Santo, uma unidade que comporta 90 adolescentes estava com mais de duzentos pessoas em plena pandemia do coronavírus. O programa Bem Viver conversou com a advogada Mayara Silva de Souza do Instituto Alana sobre propostas para mudar esse cenário e sobre as condições às quais os menores estão submetidos.


Produção da Rádio Brasil de Fato vai ao ar de segunda a sexta-feira / Brasil de Fato / Bem Viver

Sintonize

O programa Bem Viver vai ao ar de segunda a sexta-feira, das 11h às 12h, com reprise aos domingos, às 10h, na Rádio Brasil Atual. A sintonia é 98,9 FM na Grande São Paulo e 93,3 FM na Baixada Santista.

Em diferentes horários, de segunda a sexta-feira, o programa é transmitido na Rádio Super de Sorocaba (SP); Rádio Palermo (SP); Rádio Cantareira (SP); Rádio Interativa, de Senador Alexandre Costa (MA); Rádio Comunitária Malhada do Jatobá, de São João do Piauí (PI); Rádio Terra Livre (MST), de Abelardo Luz (SC); Rádio Timbira, de São Luís (MA); Rádio Terra Livre de Hulha Negra (RN), Rádio Camponesa, em Itapeva (SP), Rádio Onda FM, de Novo Cruzeiro (MG), Rádio Pife, de Brasília (DF) e Rádio Cidade, de João Pessoa (PB).

A programação também fica disponível na Rádio Brasil de Fato, das 11h às 12h, de segunda a sexta-feira, e nos aplicativos Spotify e Google Podcasts.

Assim como os demais conteúdos, o Brasil de Fato disponibiliza o programa Bem Viver de forma gratuita para rádios comunitárias, rádios-poste e outras emissoras que manifestarem interesse em veicular o conteúdo. Para fazer parte da nossa lista de distribuição, entre em contato pelo e-mail: [email protected]

Edição: Lucas Weber