eleição legislativa

Quase 100% da Mesa Diretora da Câmara do Recife é de apoiadores de João Campos

Oposição tem cerca de 30% dos vereadores, mas apenas um dos nove nomes na mesa; Romerinho Jatobá (PSB) é o presidente

Brasil de Fato | Recife (PE) |
Os eleitos para a Mesa Diretora têm direito a indicar cargos na própria Câmara e têm mais influência na casa - Anderson Barros/Câmara do Recife

Na última sexta-feira (1º) os vereadores eleitos do Recife tomaram posse para o mandato 2021-2024. Logo após a posse, os parlamentares realizaram a votação para a composição da Mesa Diretora da Câmara. A composição dos cargos foi costurada nas últimas semanas, comandada principalmente pelo PSB, partido com maior bancada (12 vereadores) e que comanda a prefeitura. A eleição da Mesa Diretora é parte da divisão de espaços entre aliados, assim como ocorre com as secretarias do poder Executivo.

A mesa é composta por nove integrantes: presidente, três vice-presidentes, três secretários e dois suplentes que podem substituir quaisquer dos ausentes. Os eleitos para a Mesa Diretora têm direito a indicar cargos na própria Câmara e têm mais influência na casa. Os vereadores escolhidos ficam nesses cargos por dois anos (biênio 2021-22).

Presidente da Câmara

O vereador Romerinho Jatobá (PSB), o quinto mais votado da capital pernambucana, mas primeiro mais votado do seu partido, foi eleito pelos vereadores para ser o presidente da Câmara de Vereadores. Ivan Moraes (PSOL) também concorreu ao cargo, mas obteve apenas 4 votos, contra 34 de Romerinho. Votaram no candidato do Psol ele próprio, Dani Portela (PSOL), Liana Cirne (PT) e Jairo Britto (PT).

Sempre que estiver presente, Romerinho vai presidir as sessões e tem o poder de decidir quais projetos que entram em votação. Com 34 anos, ele é vereador desde 2013, já ocupou secretarias municipais e até dezembro era primeiro-secretário da Câmara. O primeiro vice-presidente é Hélio Guabiraba (PSB), a segunda vice-presidente é Ana Lúcia (Republicanos), e o terceiro vice-presidente é Fred Ferreira (PSC), sendo este último o único nome na Mesa Diretora que pertence ao bloco de oposição.

Eriberto Rafael (PP), 31, foi eleito primeiro-secretário da Casa. Ele é vereador desde 2013 e também é alinhado com a gestão municipal, sendo líder do governo Geraldo Julio na Câmara de Vereadores nos últimos dois anos. A segunda-secretária é Natália de Menudo (PSB), e o terceiro-secretário é Zé Neto (PROS). Os suplentes são Almir Fernando (PCdoB) e Fabiano Ferraz (AVA).

Líder do governo

O prefeito João Campos já escolheu Samuel Salazar (MDB) para ser o “líder do Governo” na Câmara. Ele terá a tarefa de defender a gestão Campos frente às críticas dos vereadores da oposição. Salazar é vereador há dois anos. Em 2016 se candidatou pelo PRTB e ficou na suplência. Com eleição de Marco Aurélio (PRTB) para deputado estadual, em 2019 Samuel Salazar assumiu o mandato na Câmara. Pouco tempo depois migrou para o MDB.

A bancada de oposição na Câmara do Recife ainda não elegeu o líder do bloco, atualmente liderado pelo bolsonarista Renato Antunes (PSC). A oposição será formada por cerca de um terço da casa, entre 10 a 13 parlamentares. Isso inclui quatro vereadores de esquerda – Liana Cirne (PT), Jairo Britto (PT), Dani Portela (PSOL) e Ivan Moraes (PSOL) – e oito ou nove de direita, sendo a maioria da oposição formada por bolsonaristas. O petista Osmar Ricardo (PT) deve compor a base da gestão Campos.

A ausência de vereadores de oposição na Mesa Diretora pode acabar compensada com cargos de presidência nas comissões, a serem decididas nas próximas semanas.

Suplentes

Com as nomeações de Rodrigo Coutinho (SD) e Carlos Muniz (PSB) para secretarias no Executivo municipal, foram nomeados os primeiros suplentes do PSB e do SD: Rinaldo Junior (PSB) e Waldomiro Amorim, conhecido como Professor Mirinho (SD).

Rinaldo é presidente da central sindical Força Sindical, já teve passagens pelo PDT, pelo Republicanos – pelo qual foi eleito vereador em 2016 – e durante o mandato migrou para o PSB. Em 2020 teve 7.340 votos e foi o 23º mais votado do Recife, mas não entrou porque o partido só teve votos para eleger 12 e ele foi o 13º dentro do PSB. Mas agora assume o mandato no lugar de Carlos Muniz.

Já Professor Mirinho (SD) é estreante no parlamento. Guarda Civil Municipal concursado, ele é presidente do SindGuardas, professor de taekwondo e mora na Imbiribeira, zona sul do Recife. Ele obteve 2.570 votos e ficou em 3º entre os candidatos do Solidaridade, partido que conseguiu votos para eleger dois vereadores.

Fonte: BdF Pernambuco

Edição: Camila Maciel e Vanessa Gonzaga