Irresponsabilidade

Dias antes da falta de oxigênio em Manaus, bolsonaristas comemoraram fim de lockdown

Sob toque de recolher, capital do Amazonas sofre por ausência de medidas de isolamento social e escassez de insumos

Brasil de Fato | São Paulo (SP) |

Ouça o áudio:

 Bia Kicis e Carla Zambelli
Bia Kicis e Carla Zambelli, ambas do PSL, comemoraram fim de lockdown - Marcelo Camargo/Agência Brasil e Cleia Viana/Câmara dos Deputados

Enfrentando a segunda onda de contaminação por covid-19, e desde a quinta-feira (14) sob toque de recolher decretada pelo governo do estado, Manaus (AM) sofre com falta de oxigênio nos hospitais. Segundo relato no Twitter do ex-senador amazonense Arthur Virgílio Neto (PSDB), pelo menos 28 pessoas morreram por falta de ar, na última quinta, no Pronto Socorro 28 de Agosto, devido ao déficit de cilindros de oxigênio para os pacientes, em meio ao aumento expressivo de casos e óbitos por covid-19.

Continua após publicidade

Leia mais: Sem leitos públicos, população de Manaus improvisa tratamento contra covid em casa

O cenário é uma combinação de ausência de medidas de distanciamento social para o combate à contaminação e a escassez de insumos na saúde pública.

Cerca de duas semanas antes, no entanto, bolsonaristas comemoraram nas redes sociais o fim do lockdown no município entre o Natal e o Ano Novo.  Internautas cobraram os mesmos bolsonaristas pelo cenário atual manauara. 

A deputada federal Bia Kicis (PSL-DF) publicou, no dia 27 de dezembro, que “a pressão do povo funcionou também em Manaus. O governador do Amazonas voltou atrás em seu decreto de lockdown. Parabéns, povo amazonense, vocês fizeram valer seu poder!", comemorou a parlamentar, ficando entre um dos assuntos mais comentados nesta quinta-feira (14). 

Ainda assim, a congressista afirmou que “não fosse a providência do presidente Jair Bolsonaro e do ministro Pazuello, muitas pessoas teriam morrido asfixiadas”, ignorando as 28 mortes. 

Outros parlamentares que comemoraram o fim do lockdown em Manaus foram Eduardo Bolsonaro, Daniel Silveira e Carla Zambelli, todos do PSL. 

Leia também: Venezuela envia cilindros de oxigênio para o estado do Amazonas

“E aí Wilson Lima [governador do estado do Amazonas] , viu quem manda no estado? Para com essa palhaçada de lockdown senão vai ser arrancado do palácio pelas mãos do povo, literalmente. Recado dado, e que os outros ditadorezinhos de porcaria entendam a mensagem”, afirmou Silveira. Ao lado de Eduardo Bolsonaro e Zambelli, também afirmou que “todo poder emana do povo”. 

E aí @wilsonlimaAM , viu quem manda no estado? Para com essa palhaçada de lockdown senão vai ser arrancado do palácio pelas mãos do povo, literalmente. Recado dado e que os outros ditadorezinhos de porcaria entendam a mensagem. O poder emana do povo!

— Daniel Silveira (@danielPMERJ) December 27, 2020

De acordo com o boletim do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), divulgado às 18h desta quinta-feira (14), foram registrados 5.920 óbitos e 223.360 casos da doença no estado. Na semana do dia 3 a 9 de janeiro foram registrados 344 óbitos, sendo que na semana anterior, de 27 de dezembro a 2 de janeiro, foram contabilizadas 152 mortes. 

A alta também pode ser observada no número de novos casos da doença. Entre 3 e 9 de janeiro foram 11.129 novas pessoas infectadas e, na semana anterior - 27 de dezembro a 2 de janeiro -  foram 5.930. Menos que a metade. 

No dia 4 de janeiro de 2021, o ex-ministro da Cidadania do governo Bolsonaro, Osmar Terra publicou que, apesar do “noticiário alarmista”, Manaus apresentava uma "queda importante de óbitos".  

Edição: Rogério Jordão